EUA anunciam mudanças que aliviam sanções impostas a Cuba

0
920

Aproximação bilateral começou há pouco mais de um ano; comunicado foi divulgado pelos departamentos de Tesouro e Comércio

As mudanças irão facilitar viagens a Cuba
As mudanças irão facilitar viagens a Cuba

DA REDAÇÃO (com Reuters) – Os Estados Unidos informaram na terça-feira (26) que vão aliviar ainda mais restrições ao regime de sanções contra Cuba envolvendo exportações e autorização de viagens aéreas. As medidas entraram em vigor na quarta-feira (27).

De acordo com as novas medidas, os Estados Unidos permitirão a exportação de bens e serviços para educação, produção agrícola, processamento de alimentos, transportes públicos e iniciativas artísticas, assim como na preparação de atenção a desastres, informou o Departamento do Tesouro.

As licenças para as exportações que o Tesouro considerar que são para o benefício dos cubanos serão garantidos caso a caso, anunciou a entidade.

“Estas alterações irão remover restrições sobre condições de pagamento e financiamento para exportações autorizadas e reexportações para Cuba para itens que não sejam agrícolas ou commodities”, de acordo com um comunicado dos Departamentos de Tesouro e Comércio.

Os dois países restabeleceram relações diplomáticas em julho de 2015 depois de um histórico processo de reaproximação entre os líderes Barack Obama e Raúl Castro anunciada publicamente em dezembro de 2014. O maior obstáculo para essa reaproximação é a vigência do embargo comercial e econômico dos Estados Unidos a Cuba, que precisa da aprovação do Congresso americano para ser levantado.

As mudanças irão facilitar viagens a Cuba ao permitir espaços bloqueados, compartilhamento de códigos e acordos de locação com linhas aéreas cubanas, informou.

O Tesouro também removeu restrições a pagamentos e financiamentos para as exportações autorizadas, com exceção de produtos agrícolas e commodities.

Em nota oficial, o secretário do Tesouro, Jacob Lew, insistiu que as medidas “mandam uma mensagem clara ao mundo: os Estados Unidos estão comprometidos em empoderar os cubanos e permitir seu desenvolvimento econômico”.