EUA prometem revelar ao Coaf contas de Duda

Deputados brasileiros estão entusiasmados com a colaboração das autoridades americanas

0
1043

“Foi uma grande vitória! Isso pagou a viagem!”, exclamou o deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ), relator adjunto da CPI dos Correios, ao sair ontem à tarde (01/02) da sede do FinCen, órgão do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos que investiga crimes financeiros.

Ele se referia ao fato de que, depois de uma reunião de pouco mais de uma hora, as autoridades daquela agência prometeram revelar ao governo brasileiro em breve – “Isso vai acontecer nos próximos dias”, anunciou Paes – as operações financeiras de todas as contas bancárias do publicitário Duda Mendonça nos EUA.

Deputados pedem aos EUA esforço político – Os dados deverão ser enviados diretamente ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Não ficou claro, porém, se essa entidade poderá repassar as informações à comissão parlamentar que investiga as movimentações financeiras do publicitário. Ainda assim o clima era de comemoração.

“Conseguimos mais do que esperávamos. O FinCen vai dar atenção especial a esse caso, passando em regime de urgência ao Coaf não só dados sobre todas as contas de Duda como também os referentes a contas de sua filha, de sua sócia e de sua esposa”, afirmou o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), relator da CPI dos Correios.

Seu colega Maurício Rands (PT-PE), que também participou do encontro no Tesouro americano, disse que ao longo da conversa as autoridades americanas entenderam que se trata de “um caso especial e de muita importância para o Brasil”. E acrescentou: ” Amanhã (hoje) vamos ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos para discutir o fluxo geral de cooperação entre os dois países, de forma a melhorar a sua eficácia e eliminar futuros esquemas de lavagem de dinheiro”.

William Baity, o diretor do FinCen que recebeu os três deputados da CPI dos Correios, recusou-se a falar a respeito da reunião. As informações que ele ontem prometeu entregar em breve já haviam sido solicitadas em agosto do ano passado pelo Ministério Público brasileiro: “O FinCen chegou a nos pedir desculpas por ainda não ter enviado os dados solicitados. Creio que a nossa presença aqui ajudou a convencer as autoridades americanas de que as informações são essenciais para as investigações, e que vamos tratá-las com o maior cuidado”, disse Serraglio.

Mesmo sem a certeza de que terão acesso aos dados que serão transmitidos ao Coaf, os três deputados insistiram com o Tesouro americano para que a transmissão seja feita realmente em breve, antes que se esgote o prazo de funcionamento da CPI dos Correios, em meados de abril.

Eles irão hoje (02/02) ao Departamento de Justiça dos EUA para “um esforço político-diplomático”, como disse Paes, na tentativa de convencer as suas autoridades a cooperarem mais com as investigações brasileiras sobre lavagem de dinheiro. Os três pretendem reforçar, ainda, o pedido feito dois dias atrás ao promotor-geral de Nova York para que CPI possa ter acesso às informações já enviadas pelos EUA ao Ministério Público e à Polícia Federal sobre a movimentação de dinheiro de Duda Mendonça na conta da off-shore Dusseldorf, no BankBoston de Miami.