Filho pede ajuda para mãe não ser deportada para Bangladesh

Salma Sikandar, de 48 anos, vive há mais de 20 anos em Connecticut e prazo para que ela saia do País vence dia 23

0
1721
Salma chora entre o marido e o filho com medo de ser deportada
Salma chora entre o marido e o filho com medo de ser deportada

Uma mulher de Bangladesh está correndo contra o tempo para evitar sua deportação no próximo dia 23, depois de 20 anos morando nos EUA. Salma Sikandar, de 48 anos, ultrapassou o tempo permitido do visto por mais de 18 anos e tem uma ordem de deportação em aberto desde 2016. As informações são do Hartford Courant.

Salma vive em New Haven, Connecticut, e já tentou de todas as maneiras possíveis apelar no Tribunal de Imigração para reverter a ordem de deportação. Todos os recursos foram negados. “Esta é minha casa, aqui está a minha família”, disse Salma na frente do prédio do ICE em Connecticut, onde familiares e militantes fizeram uma manifestação na semana passada.

O marido de Salma, Anwar Mahmud, disse que ele e o filho não podem viver sem ela. “Nós nunca passamos uma noite sequer separados”, disse. O filho do casal, Samir Mahmud, de 17 anos, que é cidadão americano, criou uma campanha online para ajudar a mãe.

Salma fez um check-in de rotina na imigração há alguns meses e teve que usar uma tornozeleira de monitoramento, até que recebeu a ordem definitiva para deixar o País.

Samir acabou de entrar na faculdade para cursar engenharia pela Science University Magnet School in West Haven e está fazendo um apelo para que sua mãe não seja deportada. “Eu não consigo entender. Ela é alguma criminosa para usar uma tornozeleira”, questiona o filho.  “Ela é apenas uma mãe que quer ver seu filho na faculdade”.