Filmes brasileiros batem recorde de lançamentos em 2016 e impulsionam mercado

Os dados da Ancine demonstram ainda que, em meio à crise econômica no país, o mercado de cinema continua em expansão

0
1654
Minha Mãe é uma Peça 2 alcançou a segunda posição no ranking dos filmes brasileiros mais vistos em 2016
Minha Mãe é uma Peça 2 alcançou a segunda posição no ranking dos filmes brasileiros mais vistos em 2016

Com 143 filmes, o cinema brasileiro registrou recorde de lançamentos em 2016, alcançando um desempenho que contribuiu para o crescimento da bilheteria total no ano. O resultado foi divulgado pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) no Informe Preliminar de Acompanhamento de Mercado, que contém os números do segmento de exibição em 2016. As informações são da Agência Brasil.

Os filmes nacionais lançados no ano passado venderam 30,4 milhões de ingressos, o que representa o melhor resultado desde 1984. De acordo com o informe da Ancine, cresceu também a participação do público dos filmes nacionais em relação ao total de espectadores, atingindo 16,5%, ante 13% no ano anterior.

Os dados da Ancine demonstram ainda que, em meio à crise econômica no país, o mercado de cinema continua em expansão. Os 184,3 milhões de bilhetes vendidos ao longo de 2016, gerando uma receita de R$ 2,6 bilhões, representam crescimento real pelo oitavo ano consecutivo, com taxas muito expressivas nos dois últimos anos, apesar da recessão.

Segundo a Ancine, a expansão e modernização do parque exibidor brasileiro é um dos principais fatores do bom desempenho no mercado. O ano terminou com 3.168 salas em funcionamento, mantendo a expansão acima da média dos últimos cinco anos e incorporando novas cidades ao serviço de cinema.

Para o Brasil, 2016 foi também o primeiro ano de operação do parque exibidor quase integralmente digitalizado, o que ajudou a elevar a bilheteria e a participação dos pequenos cinemas. “Desde 2009, temos crescimento real do mercado de salas de cinema, apesar das oscilações da conjuntura econômica do país. Isso mostra a força do cinema na vida dos brasileiros, e o empenho das distribuidoras e dos exibidores”, comentou o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel.