Flamengo e River Plate decidem hoje a Libertadores

Jogo é às 3p.m. e tem transmissão ao vivo pela TV nos canais por assinatura Fox Sports e beIN

0
2279
Estátua do Cristo Redentor veste a camisa rubro-negra, na torcida pelo bicampeonato da Libertadores (REUTERS/Ian Cheibub)

Trinta e oito anos depois, o rubro-negro carioca volta à decisão da Copa Libertadores da América, a mais importante competição do continente sul-americano, e que dá o passaporte para a grande final do Mundial de Clubes prevista para o dia 11 de dezembro, no Qatar.

A grande final de hoje será no estádio Monumental “U”, na capital do Peru, Lima. O jogo estava marcado para Santiago, mas por conta da instabilidade política no Chile foi transferido para Lima.

O Flamengo, dirigido pelo treinador português Jorge Jesus, está muito perto também de conquistar o seu sexto título no Campeonato Brasileiro, que lidera com larga margem: tem 81 pontos, 13 a mais que o segundo colocado, o Palmeiras, a cinco rodadas do final da competição.

O River Plate, treinado por Marcelo Gallardo e atual campeão da Libertadores, quer repetir a dose este ano. Em 2018, o clube argentino derrotou o arqui-rival Boca Juniors por 4 a 1 na final jogada no estádio Santiago Bernabéu, em Madri. Este ano, o River eliminou o Boca na semifinal. Na outra semifinal, o Flamento derrotou o Grêmio porto-alegrense para conquistar a vaga.

Se tudo der certo, o time rubro-negro pode chegar ao Qatar no dia 11 com duas taças debaixo do braço: de Campeão Brasileiro e Campeão da Copa Libertadores da América. Nesse caso, o Flamengo poderá repetir a final de 1981, enfrentando novamente o Liverpool, equipe inglesa que o derrotou por 3 a 0 naquele ano, conquistando o título mundial. O Liverpool, campeão da UEFA Champions League, já está classificado para a finalíssima do Qatar.

ESCALAÇÕES:

Flamengo: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Arão, Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol

River Plate: Armani; Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Casco; Nacho Fernández, Enzo Pérez, Palacios e De La Cruz; Borré e Suárez