Flórida tem 16 casos de zika vírus confirmados

0
1097

Autoridades de saúde afirmam que todos os casos são de pessoas que viajaram para regiões afetadas

DA REDAÇÃO – As autoridades de saúde da Flórida anunciaram, na última semana, que existem hoje 16 casos de zika vírus no Estado. Segundo o médico John Armstrong, todos os casos são de pessoas que viajaram para regiões atingidas pela doença e, entre elas, não há mulheres grávidas.

Embora o vírus ainda não ter sido encontrado na Flórida, Armistrong pede que os moradores redobrem a atenção para prevenir a proliferação do mosquito aedes aegipty, não deixando água parada em seus quintais e casas. “Não importa o tamanho do recipiente, a água tem que ser jogada fora, o mosquito pode se proliferar até mesmo em quantidades pequenas de água limpa”, disse. Outra recomendação é o uso de repelentes, principalmente, para mulheres em idade reprodutiva.

Na Flórida, foram registrados casos de zika vírus em Broward County, com dois caos; Miami-Dade, seis casos; Hillsborough County, três casos; Lee County, dois casos; Osceola County, um caso; Santa Rosa e St. Johns com um caso cada.

Obama pedirá ao Congresso $1,8 bilhão para combater o zika
O presidente Barack Obama vai pedir ao Congresso mais de $1,8 bilhão para um fundo de emergência de combate ao vírus da zika, informou a Casa Branca nesta segunda-feira (8).

“O pedido de recursos faz parte de nossos esforços de preparação e vai dar apoio a estratégias essenciais para combater este vírus”, afirma o comunicado.

O dinheiro seria destino ao combate da doença no país e no exterior. Os recursos seriam divididos entre o Departamento de Saúde, a Agência de Desenvolvimento Internacional e o Departamento de Estado para apoiar programas de controle do mosquito transmissor do vírus, além de pesquisas para uma vacina e serviços de saúde para mulheres grávidas de baixa renda, disse a Casa Branca em um comunicado.

Parte do dinheiro seria enviada para países afetados pelo zika para melhorar o combate ao mosquito e o controle da transmissão.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou, em 1º de fevereiro, estado de emergência internacional por causa da provável relação entre o zika e a microcefalia. Autoridades em todo mundo suspeitam que o vírus esteja ligado a um aumento no número de casos de microcefalia no Brasil.

Segundo informou a agência Reuters nesta segunda, o Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC) informou que seus atletas podem considerar não disputar os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, em agosto, por causa da preocupação com o vírus da zika no Brasil.