Fort Lauderdale anuncia volta das scooters elétricas nas ruas da cidade

Retorno do transporte em Fort Lauderdale ocorre no momento em que o tráfego de scooters é proibido em áreas movimentadas de Miami: 'Nossos residentes de Downtown Miami estão fartos deste problema'

0
572
Tráfego de scooters foi suspenso no início de 2020 durante a pandemia de covid-19 (foto: Miami Herald)

Após quase dois anos suspensas da ruas de Fort Lauderdale, as scooters elétricas estarão de volta, provavelmente na primavera, segundo disse o prefeito Dean Trantalis.

O transporte banido durante a pandemia de covid-19 divide opiniões entre moradores e turistas. Os defensores consideram que as scooters facilitam a locomoção, enquanto outros alegam ausência de regras de segurança. Em 2019, Ashanti Jordan, de 27 anos, sofreu uma lesão cerebral após colidir com um carro enquanto dirigia uma scooter na cidade.

O prefeito afirmou que quando as scooters voltarem, os usuários serão obrigadas a trafegar pela ciclovia ou calçada e a velocidade será limitada a 12 mph. Áreas movimentadas como Las Olas e o Riverwalk estarão fora dos trajetos autorizados.

O anúncio do retorno das scooters em Fort Lauderdale ocorre no momento em que uma comissão de vereadores de Miami aprovaram a eliminação de um programa piloto sobre o transporte no município.

“A preocupação é onde está a a segurança, essa é a maior preocupação”, disse James Torres, presidente da Miami Downtown Neighbours Alliance. O programa piloto que foi rejeitado pela comissão abrangia as áreas de Downtown, Brickell e Edgewater.

“Em qualquer outro lugar da cidade, eles não são permitidos”, disse Torres. “Nossos residentes de Downtown Miami não precisam deste problema, particularmente quando não tem segurança nem educação no trânsito”, falou Torres.

Mas o prefeito de Miami, Francis Suarez, convocou uma reunião da comissão especial na segunda-feira para discutir o reinício do programa de scooters.

“É surpreendente que o prefeito queira ter essa conversa e espero que seja a vontade do povo que eles não tenham permissão para voltar até que haja uma solução viável para todos”, finalizou Torres.