Furacão Ian pode atingir o oeste da Flórida mais cedo e com mais força

Nesta tarde de terça-feira, Ian estava de volta ao golfo do México, onde as condições estão propícias para se fortalecer em um furacão de categoria 4 com ventos de 130 mph durante a noite

0
2720
No boletim das 5:00 p.m., desta terça-feira (27), o Centro Nacional de Furacões (NHC) disse que o furacão Ian deve trazer níveis históricos de maré alta para a área de Sarasota (Imagem: NHC)
No boletim das 5:00 p.m., desta terça-feira (27), o Centro Nacional de Furacões (NHC) disse que o furacão Ian deve trazer níveis históricos de maré alta para a área de Sarasota (Imagem: NHC)

A trajetória projetada do furacão Ian mudou ligeiramente na terça-feira (27), para uma rota que empurra a tempestade a um potencial castigo da área norte de Port Charlotte – uma mudança pequena, mas significativa para uma costa do golfo vulnerável a tempestades. Se a rota se mantiver – e as previsões enfatizam que ainda pode mudar – pode reduzir a ameaça de inundação à baía de Tampa, mas aumentá-la para comunidades costeiras ao sul, como Sarasota e Cape Coral. A dois dias do desembarque, a Flórida já estava sentindo as primeiras chuvas de Ian.

No boletim das 5:00 p.m., desta terça-feira (27), o Centro Nacional de Furacões (NHC) disse que o Ian deve trazer níveis históricos de maré alta para a área de Sarasota. Essa área agora enfrenta níveis de tempestade mais altos do que os previstos para Tampa Bay – potencialmente de até 12 pés.

Isso deve causar até 24 polegadas de chuva para a região central do oeste da Flórida. A previsão mais recente também aumentou a possibilidade de atingir terra firme na tarde de quarta-feira (28), trazendo um alerta de tempestade tropical para todo o sudeste da Flórida, incluindo a costa de Miami-Dade e Broward. O sul da Flórida vem tendo inundações desde a manhã de terça-feira, e as autoridades pediram aos moradores das Keys que se abrigassem quando os alertas de tornado aparecessem.

Toda a costa oeste da Flórida pode sofrer ondas devastadoras e chuva intensa por vários dias, à medida que a tempestade segue ao longo da costa. Evacuações obrigatórias e voluntárias foram solicitadas para mais de meio milhão de pessoas em oito condados da costa oeste da Flórida, escolas fecharam em 16 condados (incluindo Miami-Dade e Broward) e toda a Flórida permanece sob estado de emergência declarado pelo governo federal.

O diretor de gerenciamento de emergências da Flórida, Kevin Guthrie, pediu aos moradores da costa oeste que evacuem para o sul da Flórida e prevê que a região fique sem energia até por uma semana em algumas partes do estado.

Jamie Rhome, diretor interino do Centro Nacional de Furacões, disse em uma transmissão na manhã de terça-feira que os moradores da Flórida estão “começando a ficar sem tempo” para se preparar para a chegada de Ian.

“O tempo está realmente passando aqui. Se você está no caminho desta tempestade e recebeu ordens para evacuar, você realmente deve fazê-lo. Estamos muito preocupados com essa área”, disse.

Rhome também pediu aos moradores da região de Tampa Bay que não vejam a mudança na rota como um sinal de que estão todos protegidos, mas a região ainda deve sentir ventos com força de furacão, tempestades substanciais e chuvas fortes nesta semana.

Às 5:00 p.m., com a atualização do NHC, o furacão Ian estava cerca de 230 milhas ao sul de Sarasota e cerca de 50 milhas ao sul-sudoeste de Dry Tortugas, de volta ao golfo do México depois de se arrastar por Cuba.

Ainda era uma tempestade de categoria 3 com ventos máximos sustentados de 120 mph e um campo de vento que havia crescido para 140 milhas de seu centro na noite de terça-feira. Estava seguindo para o norte a 10 mph.

Na tarde de terça-feira, Ian estava de volta ao golfo do México, onde as condições estão propícias para se fortalecer em um furacão de categoria 4 com ventos de 130 mph durante a noite. Atualmente, espera-se que atinja a costa oeste da Flórida como Categoria 4, sem enfraquecimento antes do desembarque.

“Deve-se enfatizar que esta rota permanece incerta, com uma propagação típica nas características de direção levando a grandes diferenças de velocidade e variação ao longo da rota , isto sem mencionar o ângulo oblíquo de abordagem para a Flórida”, escreveram os meteorologistas no boletim das 5 p.m.