Governo da Flórida processa CDC por restrições a cruzeiros

Ação movida pelo estado surge em meio à crescente tensão entre a indústria de cruzeiros e os CDC, que na semana passada divulgaram novas instruções de segurança para reabertura do setor de navegações

0
740
Cruzeiros foram impedidos de funcionar em março (foto: Pricess Cruises - divulgação)
Cruzeiros foram impedidos de funcionar em março (foto: Princess Cruises - divulgação)

O governador da Flórida, Ron DeSantis, está processando os Centers for Disease Control and Prevention (CDC), para forçá-los a suspender a medida que proíbe a navegação dos cruzeiros, após mais de um ano de paralisações das operações devido à pandemia de covid-19.

DeSantis alegou que o estado depende em grande parte da receita do turismo e chamou a ordem imposta pelos CDC de “ilegal”. 

“Para ser claro, nenhuma lei federal autoriza o governo a impor indefinidamente uma paralisação nacional a toda uma indústria. Esta ação é necessária para proteger os moradores da Flórida do exagero da administração Biden e dos danos econômicos resultantes para o nosso estado”, afirmou  o governador.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse durante o briefing com jornalistas desta quinta-feira  (9) que não iria comentar o processo.

“Vou apenas reiterar que a orientação do governo é baseada em dados e diretrizes médicas e de saúde”, falou Psaki.

A ação movida pelo governador da Flórida surge em meio à crescente tensão entre a indústria de cruzeiros e os CDC, que na semana passada divulgaram novas instruções de segurança para empresas de cruzeiros.

A Cruise Lines International Association chamou os novos requisitos de “excessivamente onerosos” e “amplamente impraticáveis” e reforçou seu pedido para reabrir totalmente o setor no início de julho.