Local

Grande onda de poeira do Saara segue em direção à Flórida, afetando a temporada de furacões

Uma onda de poeira saariana deve entrar no Atlântico esta semana, suprimindo o desenvolvimento de tempestades

A poeira saariana deixa o céu com aspecto avermelhado e nublado. Foto: Bay News 9

Uma onda de poeira saariana, denominada Saharan Air Layer (SAL), deve entrar no Atlântico e no Golfo do México esta semana, suprimindo o desenvolvimento de tempestades. Segundo os meteorologistas, o fenômeno diminuirá o desenvolvimento de tempestades tropicais da África ao Caribe, afetando a temporada de furacões de 2024.

O evento natural é conhecido por roubar a umidade do ar enquanto areia, terra e outras poeiras da área desértica do norte da África são levadas para a atmosfera. Essas ondas são comuns na bacia do Atlântico por volta do final de junho e início de julho, de acordo com Michael Lowry, meteorologista da WPLG-TV no sul da Flórida. “Podemos rastrear a SAL usando satélites e prever sua direção através de modelos meteorológicos de longo prazo”, explicou Lowry.

A camada prevista de ar saariano deve inibir o desenvolvimento tropical até o final de junho na Principal Região de Desenvolvimento do Atlântico e pode impactar o Caribe e a Flórida em algum grau, deixando o céu com aspecto avermelhado e nublado.

Como a poeira do Saara influencia o clima, o tempo e os furacões?

De acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos, há três características dessas ondas de poeira saariana que podem afetar ciclones tropicais, distúrbios tropicais e a climatologia geral da atmosfera tropical do Atlântico:

  1. Ar Extremamente Seco: O ar seco e empoeirado da Camada de Ar do Saara tem cerca de 50% menos umidade do que a atmosfera tropical típica. Esse ar extremamente seco pode enfraquecer um ciclone tropical ou um distúrbio tropical ao promover correntes descendentes ao redor da tempestade.
  2. Jato de Leste Africano: Ventos fortes na Camada de Ar do Saara (25 a 55 mph ou 10 a 25 metros por segundo) podem aumentar substancialmente o cisalhamento vertical do vento dentro e ao redor do ambiente da tempestade. Esse “jato de nível médio” de ventos intensificados, geralmente encontrado a uma altura de 2.000 a 4.500 metros, pode causar a inclinação do vórtice do ciclone tropical com a altura e pode perturbar o motor de calor interno da tempestade.
  3. Temperaturas Quentes: O calor da Camada de Ar do Saara atua para estabilizar a atmosfera, o que pode suprimir a formação de nuvens. Esse efeito estabilizador é produzido quando o ar quente e flutuante da Camada de Ar do Saara se desloca acima de um ar relativamente mais frio e denso. A poeira mineral suspensa na Camada de Ar do Saara também absorve a luz solar, o que ajuda a manter seu calor enquanto atravessa o Oceano Atlântico.
Compartilhar Post:

Baixe nosso aplicativo