Greve no Brasil é registrada em 25 estados e no Distrito Federal

Manifestações paralisaram estradas, fábricas e muita gente não saiu de casa para trabalhar

0
2160
Estudantes protestam em SP FOTO: Gabriela Biló/Estadão
Estudantes protestam em SP FOTO: Gabriela Biló/Estadão

DA REDAÇÃO, COM UOL – Diversas capitais brasileiras amanheceram com falta de transporte público em virtude da greve geral convocada para todo o país contra as reformas trabalhista, da Previdência e contra o governo atual. Em algumas cidades, houve manifestações, necessitando de intervenção da polícia militar.

Movimentos sociais, sindicatos e partidos de oposição convocaram a greve e afirmam que os projetos de reformas retiram direitos dos trabalhadores ao alterar pontos da CLT (Consolidação das Lei do Trabalho) e endurecer as regras para conseguir a aposentadoria.

Em Belo Horizonte, a paralisação do transporte é parcial. Em São Paulo, houve conflito entre manifestantes e polícia na região da avenida São João, zona central da cidade.

Confira a situação em algumas capitais:

Rio de Janeiro

No entorno da Rodoviária Novo Rio, manifestantes fecharam as vias no início da manhã. A Tropa de Choque interveio e liberou as ruas. Mas pouco depois, os manifestantes voltaram a impedir o tráfego. Houve novo confronto. Bombas de efeito moral foram atiradas em direção aos protestantes.

As lojas do Centro do Rio decidiram não abrir nesta sexta-feira, 28. Apenas padarias da região resolveram levantar as portas. Todos os bancos da Avenida Rio Branco e das ruas transversais estão fechados e protegidos por tapumes.

A Ponte Rio-Niterói foi liberada nos dois sentidos. Niteroi-Manilha também liberada nos dois sentidos.

A Linha Vermelha apresenta longo congestionamento às 10h desta sexta. De acordo com a Rio Ônibus, toda a frota está em funcionamento.

Aeroportos: No Santos Dumont, houve protesto de integrantes da CUT no saguão, mas os manifestantes não se encontram mais no local. O Galeão opera normalmente.

Metrô e trens funcionando normalmente no Rio.

O VLT segue parado em virtude de manifestações.

São Paulo

Linhas de ônibus não operam e metrô e trem funcionam parcialmente nesta sexta-feira (28) na capital paulista em razão da greve geral convocada para todo o país contra as reformas trabalhista e da Previdência. O rodízio municipal de veículos está suspenso.

Desde as 11h30, as linhas 1-azul e 2-verde do Metrô passaram a operar até a estação Ana Rosa. Até então, a operação parcial terminava no Paraíso. Agora, a linha 1-azul faz seu trajeto até a Luz e a 2-verde, até a estação Clínicas. Além dessas duas linhas, também opera a 4-amarela, da Luz ao Butantã

Das linhas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), cinco operam parcialmente. A 10-turquesa funciona entre as estações Luz e Tamanduateí. A 9-esmeralda opera entre as estações Santo Amaro e Pinheiros. A linha 11-esmeralda tem operação parcial entre as estações Tatuapé e Luz. Na linha 12-safira, trens circulam entre as estações USP Leste e Brás. E na linha 8-diamante, os trens estão circulando entre as estações Osasco e Barra Funda. A linha 7-rubi está totalmente parada.

João Doria, voltou a criticar as manifestações pela cidade e aqueles que promovem as paralisações. “Eu acordo cedo e trabalho. Eu não sou grevista que dorme, é preguiçoso e acorda tarde. Eu não sou Jaiminho, não”, disse em entrevista à rádio Jovem Pan.

“Neste confronto, só a população que trabalha, que é honesta é quem perde. Quem não é sindicalista, sem querer generalizar. Quem promove a greve são aqueles que fazem política partidária ideológica em função própria”, disse.

Belo Horizonte

Paralisação de transportes é parcial em BH; metrô não funciona. As estações estão fechadas.

Belo Horizonte amanheceu nesta sexta-feira (28) com paralisação parcial de ônibus, de acordo com estimativa do Sindicato dos Rodoviários.

A categoria está fazendo piquetes nas portas de algumas garagens de ônibus. Um ônibus foi incendiado na BR 381, próximo à Regap (Refinaria Gabriel Passos).

Estação de metrô Eldorado, em Belo Horizonte (MG), amanhece fechada nesta sexta-feira

Manifestantes se concentram na Praça da Estação, na região central de Belo Horizonte. Não há conflitos e sem interferência no trânsito local.

Um grupo de moradores da Ocupação Willian Rosa se manifestava na BR-040, em frente à CeasaMinas, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.

Brasília

Ônibus não deixaram a garagem na madrugada desta sexta. O Metrô decidiu fechar suas estações após protestos de manifestantes contra a reforma da Previdência. Pistas de acesso ao aeroporto foram fechadas pelos manifestantes.

Manifestantes queimaram pneus no acesso ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitscheck. O trânsito ficou congestionado por volta das 7h. O Corpo de Bombeiros foi chamado para controlar as chamas. Acionada, a polícia retirou os manifestantes da via.

O tráfego em praticamente toda cidade está normalizado. Não há ônibus coletivo. Vários comércios estão fechados.

FOTO Gabriela BIló/Estadão