Grupo de venezuelanos fraudou $800 mil em cheques-estímulo, acusam autoridades

Suposta quadrilha que agia no sul da Flórida teria roubado centenas de cheques e descontado os valores usando documentos falsos

0
1566
Investigação contra o grupo começou em janeiro de 2021 (foto: pixabay)

Autoridades federais acusam um grupo de venezuelanos que mora no sul da Flórida de roubar $800 mil em cheques-estímulo. O dinheiro foi enviado pelo governo federal para ajudar as famílias americanas em dificuldade financeira durante a pandemia de covid-19. 

Em maio passado, Jesus Felipe Linares Andrade, de 34 anos, foi preso sob acusação de suposto envolvimento no esquema. Mas, de acordo com os promotores federais, ele não agia sozinho.

Pelo menos outros quatro conspiradores originários da Venezuela estariam envolvidos, conforme disseram os promotores federais ao jornal Miami Herald.

“Linares e os comparsas ainda não identificados teriam roubado centenas de cheques emitidos pelo U.S. Treasury e, em seguida, descontado os valores usando documentos de identificação falsos, diz a acusação.

A investigação contra o grupo começou em janeiro quando um informante do FBI  disfarçado se encontrou com um membro da quadrilha no estacionamento do Aventura Mall.

Durante um tempo, o agente se infiltrou na quadrilha e descobriu que cada cheque no valor de $1,2 mil era endereçado a diferentes contribuintes dos EUA com suposta residência no México.

Linares está detido no presídio federal de Miami sem direito a fiança. Os outros estão sendo procurados.

Desde o início da pandemia em março de 2020, o Congresso aprovou uma série de cheques-estímulo totalizando cerca de $400 bi para ajudar as pessoas que estão desempregadas, ou tiveram a renda familiar drasticamente reduzida em função das restrições necessárias para o controle da covid-19.