Harvey Weinstein é condenado a 23 anos de prisão por estupro e agressão sexual

A sentença foi dada na corte penal estadual de Manhattan e é o desfecho de um julgamento emblemático para o #MeToo

0
555
Produtor de cinema, Harvey Weinstein, é acusado de assédio
Produtor de cinema, Harvey Weinstein, é acusado de assédio

O ex-produtor de cinema, Harvey Weinstein, de 67 anos, foi condenado a 23 anos de prisão, no caso em que era acusado por estupro e agressão sexual.

A sentença foi dada na corte penal estadual de Manhattan e é o desfecho de um julgamento emblemático para o #MeToo, após um veredicto histórico em 24 de fevereiro que levou à primeira vitória na Justiça deste movimento contra assédio e agressão sexual.

Horas depois de deixar o local, ele foi levado a um hospital por sentir dores no peito, segundo o site do canal NBC New York. Ele já tinha sido internado depois da condenação, e chegou a passar por cirurgia cardíaca.

Weinstein chegou ao tribunal de Nova York na manhã desta quarta-feira (11) para receber a sentença. O ex-produtor estava usando cadeira de rodas e algemas. Em outra ida ao tribunal, ele já havia usado um andador.

O júri considerou Weinstein culpado de agressão sexual em primeiro grau por praticar sexo oral forçado na ex-assistente de produção Mimi Haleyi, em julho de 2006.

O produtor de filmes como “Pulp Fiction” e “Shakespeare Apaixonado” também foi declarado culpado de estupro em terceiro grau da ex-atriz Jessica Mann, em um crime de março de 2013.

Haleyi e Mann foram recebidas sob aplausos por pessoas que estavam em frente ao tribunal aguardando o resultado do veredicto.

Os procuradores pediram que fosse aplicada uma sentença severa, já que Weinstein cometeu abusos “durante toda sua vida” e mostrou “total falta de remorsos” por suas ações.

Em uma carta, solicitaram ao juiz que considere outras 36 acusações de assédio e de agressão sexual contra Weinstein, que são dos anos 1970 e não fizeram parte do processo.

Weinstein “mostrou uma atitude de superioridade e uma total falta de compaixão pelo próximo”, escreveu a promotora Joan Illuzzi. Já a defesa pediu ao juiz que aplique a pena mínima, porque Weinstein é um profissional bem-sucedido que ganhou dezenas de prêmios.

Pai de cinco filhos, o produtor de cinema não foi preso imediatamente após o veredicto, porque começou a sentir palpitações e dores no peito. Ele foi levado para um hospital, onde ficou vários dias internado.