Hillary Clinton promete não usar mais a palavra ‘ilegais’ na campanha

Candidata Democrata foi questionada por usar a expressão “imigrantes ilegais” durante um evento de campanha

0
1979

A pré-candidata Democrata à presidência, Hillary Clinton, foi criticada em um chat no Facebook, promovido pela TV de língua espanhola Telemundo, por ter usado a frase “imigrantes ilegais” em um evento de campanha no começo do mês de novembro.

Clinton retratou-se em seguida, dizendo que a afirmação “foi uma má escolha de palavras”, e prometeu não usar a mesma linguagem no futuro.

O termo foi usado em uma resposta sobre a segurança na fronteira com o México e o que ela faria para conter a invasão de imigrantes indocumentados. Hillary respondeu que servia de resposta à pergunta o fato de ela ter apoiado a criação de uma cerca na fronteira quando foi senadora, de 2001 a 2009.

“Veja bem, votei várias vezes, quando era senadora, favoravelmente pelo aumento de recursos na prevenção de entrada de imigrantes ilegais. Acho que temos de controlar nossas fronteiras”, disse Clinton no evento, realizado em New Hampshire, no início do mês de novembro.

O comentário gerou críticas dos ativistas pró-imigrantes, que preferem o termo “imigrantes indocumentados”. O questionamento pelo uso da frase veio durante um chat no Facebook na terça-feira (24), e foi feito pelo ativista Jose Antonio Vargas, cujo grupo promove a campanha “#WordsMatter”, com o objetivo de rogar aos candidatos à presidência que não usem a expressão “imigrantes ilegais”.

“Em nome da organização que represento e fundei, Define American, e em nome dos 11.7 milhões de imigrantes neste País – incluindo eu mesmo – rogo a todos os candidatos à presidência que reconheçam a #wordsmatter, comprometendo-se a não usar o termo ‘ilegais’ quando referirem-se à população indocumentada. A senhora assume este compromisso?”, perguntou Vargas a Clinton através do chat.

A candidata concordou em parar de usar o termo “imigrantes ilegais” e destacou seu apoio à reforma imigratória.

“Sim, assumo. Aquela foi uma má escolha de palavras. Como tenho dito durante a campanha, o coração deste assunto são as crianças, pais e mães, famílias, DREAMers. Eles têm nomes, aspirações e sonhos que merecem ser respeitados,” disse a Democrata. “Tenho falado centenas de vezes sobre os imigrantes indocumentados, e venho há anos lutando por uma ampla reforma imigratória. E vou continuar assim. Somos um País construído pelos imigrantes e nossa diversidade nos faz mais forte como nação – é motivo de orgulho, algo para ser celebrado e defendido.”

Durante a campanha, Clinton prometeu ir adiante com as ordens executivas do presidente Obama que protegeriam cerca de 4 milhões da deportação.

Em entrevista ao site Yahoo News, o ativista Vargas disse que tem “esperança” de que Clinton cumpra a palavra.

“Espero que Hillary Clinton cumpra a sua palavra. E espero também que os outros candidatos, de ambos os partidos, façam a mesma promessa. Palavras são importantes (‘words matter’), disse Vargas ao Yahoo News.

“Para muitos americanos, a palavra ‘ilegal’ virou sinônimo para ‘mexicanos’, como se todos os indocumentados tivessem vindo do México (eu sou filipino). Essa palavra é ofensiva.”