Homem atacado por leopardo em Davie vai processar o dono do animal

O homem de 50 anos pagou $150 para ter uma "experiência de contato total" com um exótico leopardo preto. Mas foi atacado assim que entrou na jaula do animal

0
1031
Leopardos pretos são considerados animais raríssimos (foto: flickr)
Leopardos pretos são considerados animais raríssimos (foto: flickr)

Dwight Turner pagou $ 150 para ter uma “experiência de contato total” com um leopardo preto, o que lhe permitiu “brincar com ele, tocá-lo e tirar fotos”, conforme relatou a Florida Fish and Wildlife Conservation Commission (FWCC).

Entretanto, o homem de 50 anos foi atacado segundos depois de entrar na jaula do leopardo em um santuário de animais, em Davie, no condado de Broward, FL.

Segundo as autoridades, Turner teve o couro cabeludo praticamente arrancado pelo animal e sua orelha direita foi partida ao meio.

Ele foi resgatado pelo dono do leopardo e levado para dois hospitais para realizar cirurgias diferentes. Uma delas para recompor a parte perdida do couro cabeludo.

O proprietário do santuário, Michael Poggi, tem uma página no facebook onde afirma administrar um espaço para “criação de animais raros e ameaçados de extinção”.

A Animal Rights Foundation da Flórida (ARFF) emitiu um comunicado informando que esse tipo de atividade coloca em perigo tanto humanos quanto animais.

“É muito comum pessoas organizarem espaços para vender oportunidades de fotos ou outras ‘interações com animais exóticos”, disse o coordenador de campanhas da ARFF, Nick Atwood. “Tanto as pessoas quanto os animais são prejudicados quando entram em contato direto em cativeiros.”

Leopardos em geral estão  sob ameaça de extinção segundo o International Union for Conservation of Nature’s Red List. Os totalmente pretos fazem parte da lista de animais raríssimos.

A esposa de Dwight Turner informou que  eles irão processar o dono do animal.