Hospital infantil da Flórida exige que funcionários e fornecedores estejam vacinados

Diante do aumento de casos de covid em crianças, Nicklaus Children’s Hospital em Miami não deu opção para quem trabalha nas dependências do hospital

0
584

Funcionários e fornecedores do Nicklaus Children’s Hospital em Miami terão que tomar a vacina contra a covid-19 se quiserem continuar trabalhando para a instituição. O Estado tem hoje 47 crianças internadas com covid e outros 22 casos suspeitos.

Médicos, enfermeiros, recepcionistas, residentes e a equipe de limpeza terão até o dia 15 de outubro para tomar as duas doses da vacina. Eles receberão $150 como incentivo para se imunizar. Funcionários que tenham razões médicas e religiosas para não tomar a vacina terão que submeter provas até o dia 3 de setembro.

Em carta enviada aos funcionários, o CEO do hospital infantil, Matthew Love, foi claro em afirmar que “quem não se vacinar até o dia 15 de outubro e não apresentar provas para ser uma exceção, terá o contrato terminado com a instituição”.  

O hospital começou a vacinar sua equipe e fornecedores em dezembro do ano passado. Até o momento, 70% dos funcionários foram imunizados, em um total de 3.866 empregados. Mais de 90% dos médicos receberam as duas doses da vacina.

Outros hospitais

O Jackson Health System, o maior grupo de hospitais do Sul da Flórida, deu a chance de os funcionários que não quiserem se vacinar a usar máscaras N-95 durante todo o tempo. Cerca de 60% (13 mil pessoas) foram vacinados na rede Jackson. A porcentagem passa para mais de 90% quando se trata de médicos e enfermeiros desses hospitais.

Em Fort Lauderdale, os funcionários do Holy Cross Health precisam se vacinar para manter o emprego. (Com informações do Miami Herald)