ICE deporta brasileiro acusado de assassinato no Brasil

Homem teria fugido para os EUA depois de matar o tio da esposa em 2014 no Brasil

0
15417
Brasileiro foi deportado para Belo Horizonte (MG)
Brasileiro foi deportado para Belo Horizonte (MG)

O brasileiro Marcos Vinicius Antunes de Souza, de 27 anos, foi deportado pelo U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE) no dia 9 de novembro de Ohio para Belo Horizonte (MG). Ele é acusado de assassinar por encomenda o tio da esposa para ficar com a herança. A esposa seria a mandante do crime, está presa e também será deportada.

De acordo com a ocorrência policial, a vítima foi morta no dia 6 de dezembro de 2014 em Bugre (MG). Oficiais do ICE prenderam o brasileiro no dia 27 de setembro no Columbus motel depois que receberam uma denúncia de que Marcos tinha fugido para os EUA depois de cometer o crime no Brasil. Um juiz determinou a remoção do brasileiro dos EUA, ele já tinha ordem de prisão em aberto e foi preso pela Polícia Federal no Aeroporto de Confins (MG).

“Este caso mostra o papel de segurança pública que o ICE desempenha na comunidade”, disse Rebecca Adducci, diretora de campo da imigração em Detroit, que cobre Michigan e Ohio. “Graças à tecnologia aprimorada e à crescente partilha de informações, é cada vez mais difícil para os fugitivos internacionais evitarem a justiça em seus países de origem”.

As investigações apontaram que Silas Vieira Gomes, de 56 anos, foi morto em sua casa, com um tiro na nuca. A mulher da vítima, Vanda Lúcia Ferreira Vieira Gomes, de 49 anos, teria encomendado a morte do marido, junto à sobrinha Rosilda. Marcos Vinícius, marido da intermediadora, é apontado como o autor do disparo que matou o fazendeiro. Marcos Vinicius teria  recebido R$ 100 mil pelo crime. Depois do crime, o casal fugiu para os Estados Unidos.

Prisões efetuadas pelo ICE

Desde 1 de outubro de 2009, os agentes do ICE deportaram mais de 1.150 fugitivos estrangeiros dos Estados Unidos que eram procurados em seus países nativos por crimes graves, incluindo sequestro, estupro e assassinato. A polícia de imigração trabalha com o Escritório de Operações Internacionais da ICE Homeland Security Investigations (HSI), os escritórios consulares estrangeiros nos Estados Unidos e a Interpol para identificar fugitivos estrangeiros ilegalmente presentes nos EUA.

No ano fiscal de 2015, o ICE realizou 235.413 prisões e detenções em todo o país. Noventa e um por cento das pessoas retiradas dos Estados Unidos haviam sido previamente condenadas por uma infração penal em seus países de origem. O ICE está focado em prender criminosos e condenados por crimes graves que apresentam o maior risco para a segurança das comunidades, como os acusados ou condenados por homicídio, estupro, roubo, sequestro, grandes delitos de drogas e ameaças à segurança nacional.