ICE deporta dois imigrantes procurados por homicídio

Após desembarcarem, eles foram entregues aos agentes da Polícia Civil Nacional de El Salvador (PNC)

0
1093
José Rosa Muñoz e Glenda Lissette Campos Rivera
José Rosa Muñoz e Glenda Lissette Campos Rivera

Dois imigrantes salvadorenhos, procurados em seu país de origem por homicídios com agravantes, entre outras acusações foram deportados por agentes do U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE). Em 25 de outubro, os foragidos Glenda Lissette Campos Rivera, de 24 anos, e José Rosa Muñoz, de 28 anos, embarcaram num voo para El Salvador numa aeronave da Air Operations Unit (IAO). Após desembarcarem, eles foram entregues aos agentes da Polícia Civil Nacional de El Salvador (PNC). Os crimes os quais os fugitivos são acusados não estão relacionados.

Conforme as autoridades salvadorenhas, existem cinco mandados de prisão ativos em nome de José que incluem homicídio com agravantes e assalto com agravantes.

“Rivera e Muñoz vieram aos Estados Unidos quando eram acusados de homicídio com agravantes”, disse Daniel Bible, diretor regional do ERO em San Antônio (TX). “A cooperação entre os EUA e os nossos parceiros salvadorenhos resultou na remoção de ambos os indivíduos que representam ameaça à segurança pública”.

José foi descoberto em 18 de setembro de 2018 por agentes do ICE nas imediações de Rio Grande City (TX), depois de entrar clandestinamente nos EUA. Em 20 de setembro, ele foi transferido para o Centro de Detenções do Condado de Webb em Laredo (TX), onde permaneceu até ser deportado. Glenda foi presa como cúmplice de homicídio.

O escritório do ICE ERO El Salvador e a força-tarefa da Aliança de Segurança & Cumprimento das Leis (SAFE) proveu informações aos escritórios regionais do ERO que facilitaram na localização e prisão do foragido.