ICE prende 153 imigrantes criminosos no Texas

Operação durou 12 dias e maior parte dos presos tinha passagem pela polícia

0
4704
ICE
ICE

Agentes federais do U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE), em parceria com funcionários do Enforcement and Removal Operations (ERO), prenderam 153 imigrantes criminosos na região sul do Texas. A operação durou 12 dias, sendo finalizada na sexta-feira (31/03).

De acordo com os registros policiais, os agentes realizaram prisões em Austin/Waco (24), San Antonio (62), Laredo (29) e Harlingen (38). Entre os presos, 138 são homens e 15 mulheres.

Todos os imigrantes eram alvos do ICE por já terem condenações penais anteriores. A grande maioria dos detidos (137 dos 153) tinha antecedentes criminais que incluíam condenações pelos seguintes crimes: agressão agravada com uma arma, agressão sexual agravada de criança, condução sob a influência de bebida alcóolica (DUI), agressão sexual, roubo, arrombamento, furto, resistência a prisão, homicídio veicular, contrabando de estrangeiros, violência doméstica, posse de cocaína, prostituição, fraude, posse de cocaína, drogas perigosas e distribuição de substâncias controladas.

Os detidos incluem estrangeiros de cinco países: México (140), Honduras (7), Guatemala (3), Canadá (2) e El Salvador (1).

“Os principais esforços da ICE para controlar a imigração destinam-se a imigrantes criminosos condenados”, disse Daniel Bible, diretor do escritório de campo do ERO em San Antonio. “Consequentemente, nossas operações melhoram a segurança pública ao remover esses criminosos das nossas ruas e, em última instância, do nosso país”, continuou.

Dos 153 presos, 33 foram apresentados ao Ministério Público dos EUA para enfrentar acusação criminal por reentrada no país após uma deportação. Aqueles que têm ordens pendentes de remoção, ou que ilegalmente reingressou nos EUA após a deportação, estão sujeitos à remoção imediata. Quem permanece sob custódia do ICE está aguardando uma audiência diante de um juiz de imigração federal ou estão pendentes de viagem para a remoção. Qualquer pessoa que entre ilegalmente nos Estados Unidos depois de ter sido previamente deportada comete um crime punível de até 20 anos de prisão federal, se condenado.