Imigrantes sofrem mais com transtornos emocionais

Morar num país estrangeiro é fator agravante no cuidado da saúde mental

0
691
A pessoa que mora num país estrangeiro está propensa a desenvolver problemas como depressão, ansiedade e estresse (Foto: Loren Elliott/Reuters)
A pessoa que mora num país estrangeiro está propensa a desenvolver problemas como depressão, ansiedade e estresse (Foto: Loren Elliott/Reuters)

Por Carolina Martinez*

De acordo com o Relatório Mundial de Saúde Mental publicado em 2022 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), houve uma piora dos transtornos mentais no mundo todo, com um aumento de 25% nos casos de depressão e ansiedade, após a pandemia.

Esses quadros são ainda mais intensificados quando temos fatores influenciadores externos. Um desses fatores é morar em um país estrangeiro. A pessoa que mora num país estrangeiro está propensa a desenvolver problemas como depressão, ansiedade e estresse.

Vamos entender melhor sobre esse processo. O expatriado, desde o início dessa jornada, até mesmo depois de muitos anos já ambientado ao novo país, enfrenta dificuldades específicas: desde fatores burocráticos, preocupações com familiares que irão junto ou com os que ficarão, até questões de emprego, estudos, moradia, aprendizado do novo idioma e adaptação à nova cultura. Além disso, o expatriado sofre barreiras culturais e linguísticas, perda de relacionamentos, distância física de familiares e amigos, envolvendo perdas de eventos presenciais e a perda da sua rede de apoio. Passando por sentimentos de isolamento e solidão, podem surgir inseguranças, falta de pertencimento e estresse.

Psicoterapeuta Carolina Martinez
Psicoterapeuta Carolina Martinez

Um ótimo auxílio para quem está passando por tudo isso é a orientação psicológica. Na terapia você encontra acolhimento e orientação profissional que irão te ajudar a lidar com esses desafios e outros problemas pessoais. Em um ambiente seguro, onde você é protegido pelo sigilo do profissional, você pode encontrar um caminho menos tortuoso e melhorar muito a sua qualidade de vida.

Mesmo falando o idioma local, fazer terapia no seu idioma nativo é muito mais acolhedor. A terapia é muito mais eficaz no idioma materno do que quando feito em outro idioma, mesmo você tendo fluência do idioma local. Mas por que? Nós, como seres humanos, temos muita dificuldade em acessar nossas emoções e principalmente, em expressar o que sentimos através das palavras. Nossa fala vem com emoções e memórias afetivas, e tudo isso tem uma grande conexão com o contexto cultural. O processo terapêutico no seu idioma nativo vai te ajudar nessa expressão, tornando-a muito mais livre e fluida. Essa fluidez é muito importante no processo de autoconhecimento. Um terapeuta que fale sua língua materna, te ajuda a acessar melhor seus sentimentos, gerando num resultado muito mais eficaz.

E hoje temos a possibilidade de fazer terapia online. Que oportunidade poder fazer terapia do conforto da sua casa, com um terapeuta no Brasil, que fala seu idioma nativo e conhece muito bem sua cultura. Melhor ainda, se for com alguém que morou nos EUA, que também passou pelo que você está passando e tem conhecimento da cultura norte-americana, tendo também o conhecimento da língua inglesa.

*Psicoterapeuta (consultorio.carolinamartinez@gmail.com)

A terapia é um processo de autoconhecimento que te ajuda a enfrentar barreiras e lidar melhor com seus desafios, trazendo maior clareza para sua jornada, melhorando exponencialmente sua qualidade de vida.