Incêndio obriga mais de 60 mil moradores a saírem de cidade do Canadá

As principais ruas da cidade ficaram bloqueadas devido ao grande fluxo de carros que tentavam deixar o local

0
1192
Incêndio no Canadá
Incêndio no Canadá

Um incêndio de grandes proporções em Fort McMurray, cidade do oeste do Canadá,  obrigou as autoridades canadenses a retirarem mais de 60 mil pessoas da cidade de Fort McMurray, na província de Alberta, no Canadá.

As principais ruas da cidade ficaram bloqueadas devido ao grande fluxo de carros que tentavam deixar o local. O governo solicitou reforço para combater as chamas, inclusive com o auxílio de helicópteros.

O incêndio começou no fim de semana, mas ganhou força ontem (3), quando o fogo se propagou com o vento. Alguns voos do aeroporto de Fort McMurray foram cancelados: “Esta é a maior evacuação que já fizemos na história do estado”, disse a premier de Alberta, Rachel Notley.

A escassez de combustível e o tráfego pesado atrapalharam a partida dos moradores de Fort McMurray, localizada na parte nordeste da província de Alberta, no centro da região de areias betuminosas do país, à medida que o fogo destruía grande parte de um bairro e danificava seriamente outros.

Embora as grandes instalações de extração de petróleo das areias betuminosas não estejam na rota das chamas, o incêndio interrompeu algumas operações. A Royal Dutch Shell disse que uma de suas minas de areia betuminosa foi fechada e outra está em processo de ser fechada. A Suncor Energy, cujas operações estão mais próximas da cidade, comunicou que está reduzindo a produção de petróleo.

Os bombeiros disseram que as condições climáticas tornam difícil controlar o fogo. “Este é um incêndio terrível, traiçoeiro”, disse o chefe do corpo de bombeiros de Fort McMurray, Darby Allen, aos repórteres. “Certamente existem áreas dentro da cidade que não foram queimadas, mas este incêndio irá atrás delas, irá encontrá-las e querer tomá-las. E nosso desafio é impedir isso”.

No momento o incêndio florestal cobre cerca de 7.500 hectares, afirmaram as autoridades. Não havia relatos de feridos ou mortos.