Joesley Batista pode acabar preso em Curitiba

O empresário Joesley Batista se traiu e entregou fitas gravadas na qual compromete ele, executivos da Holding J&F e membros do Poder Judiciário

0
1773
Joesley Batista se traiu e entregou fitas gravadas na qual compromete ele, executivos da Holding J&F e membros do Poder Judiciário
Joesley Batista se traiu e entregou fitas gravadas na qual compromete ele, executivos da Holding J&F e membros do Poder Judiciário

DA REDAÇÃO – O empresário Joesley Batista, o “empresário” do setor de carne e proteína animal, inadvertidamente entregou fitas à Procuradoria Geral da República (PGR) que comprometem ele, os executivos da Holding J&F e demonstram uma perniciosa intimidade com membros do Poder Judiciário.

Rodrigo Janot, o procurador da República que divulgou gravações supostamente incriminando o president Michel Temer e o seandor Aécio Neves, agora disparou suas flechas em direção ao PT e mandou instaurar inquérito contra Lula e Dilma, além de Antonio Palocci, Guido Mantega (ex-ministros da Fazenda nos governos Lula e Dilma), de Paulo Bernardo (ex-ministro das Comunicações de Dilma) e sua mulher Gleisi Hoffmann (senadora pelo Paraná e atual president do PT), Paulo Okamoto (president do Instituto Lula) e João Vaccari, ex-tesoureiro do PT.

Além disto, a gravação incrimina Marcelo Miller, ex-procurador da República e antigo assessor de Janot na PGR. Ele sempre vinha sendo apontado como o homem que articulou a delação premiada que favoreceu os irmãos Batista e os executivos do Grupo, sobretudo Ricardo Saud, responsável pelas Relações Governamentais. Outro ex-procurador, Angelo Goulart, também está sendo acusado de ter revelado antecipadamente informações sobre a operação Carne Fraca preparada pela Polícia Federal para prender os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Diante desses novos fatos, Rodrigo Janot, que deixará o cargo em 17 de setembro e será substituído por Raquel Dodge, decidiu rever os benefícios generosos concedidos aos irmãos Batista, e eles podem perder direito àquilo que havia sido acordado entre eles e Janot, com a aquiescência do minuistro Edson Facchin, do Supremo Tribunal Federal (STF). Desta forma, pode ser decretada a prisão preventiva deles e dos executivos da Holding J&F, com seus processos indo para Curitiba na vara do juiz Sérgio Moro.

Apesar de eles poderem perder os privilégios, Janot já adiantou que isto não anluará as provas obtidas contra Temer e Aécio, ou seja, eles terão de se justificar por suas ações e podem vir a ser julgsados assim que perderem o status de foro privilegiado que possuem atualmente por serem respectivamente presidente e senador da República.

Mesmo assim, Temer tem motivos para sorrir. Desde o início, ele tem afirmado ser vítima de uma armação e contesta o fato de que os R$ 50 mil entregues ao ex-deputado Rodrigo Rocha Loures referem-se à gravação feita por Joesley. Entretanto, Temer pecou em um ponto básico: ele jamais deveria ter recebido Joesley no Palácio Jaburu – residência oficial do vice-presidente da República – fora do horário normal de expediente.

Joesley Batista e Ricardo Saud acionaram seus advogados para contradizer o conteúdo da fita, ao afirmarem que suas conversas não reproduziam o que eles pensam sobre os membros do Poder Judiciário e admitiram estar mentindo.