Jovem apela por redução da pena da mulher que a sequestrou quando era bebê em Jacksonville

Gloria Williams se passou por enfermeira e levou a recém-nascida de um hospital em Jacksonville em 1998; ela foi condenada em 2017 a 18 anos na prisão

0
1638
Gloria Williams foi presa em 2017 (foto: News4Jax)
Gloria Williams foi presa em 2017 (foto: News4Jax)

Uma jovem que foi sequestrada quando era bebê em Jacksonville, na Flórida, pediu que fosse reduzida a pena de prisão da mulher que a raptou. Gloria Williams, que admitiu ter levado a recém-nascida Kamiyah Mobley de um hospital em 1998 após se passar por enfermeira, foi condenada em 2017 a 18 anos e nove meses na cadeia.  William criou Mobley – a quem deu o nome de Alexis Manigo – como se fosse sua filha. As primeiras suspeitas surgiram quando a jovem precisou apresentar a certidão de nascimento para começar a trabalhar em uma empresa. Os empregadores desconfiaram que o documento era falsificado e acionaram a polícia, que iniciou uma investigação.

Cinco anos após a farsa que a levou para a cadeia ter sido descoberta, Williams apresentou uma moção para que a sua sentença seja reduzida para metade. O pedido teve o apoio de Mobley, que fez um apelo na carta datada de setembro de 2021 e divulgada semana passada pelo Fourth Judicial Circuit for Duval County. “Eu tive uma vida equilibrada e sou uma pessoa independente, com formação universitária e profundamente espiritualizada, por causa de tudo o que a minha mãe me deu. Estou plenamente consciente de como as nossas vidas se tornaram, o que são e como minha mãe se tornou minha mãe. Peço a graça e misericórdia do Tribunal, pois preciso da minha mãe em casa”, acrescentou. Mobley foi reconectada com sua família biológica ainda 2017 e vive com seus pais e irmãos vedadeiros na Flórida. Ainda não se sabe quando o juiz vai decidir sobre o pedido de redução da pena.