Julgamento de acusados da morte de brasileiro em Winter Park é adiado para junho

Adolescente foi espancado até a morte em outubro do ano passado; família pede justiça

0
2965
Roger foi espancado até a morte
Roger foi espancado até a morte

A família do brasileiro Roger Trindade, de 15 anos, morto em outubro, está em busca de justiça pela morte do jovem. O julgamento que seria realizado na quinta-feira (6) foi novamente adiado para o dia 2 de junho.  Roger Trindade foi encontrado inconsciente depois de apanhar na noite do dia 15 de outubro no Winter Park shopping. Ele foi levado para o hospital, mas morreu pouco tempo depois. A família vivia em Orlando desde o início de 2015.

“Hoje não teve nenhum julgamento muito menos nenhuma sentença! A promotora nos avisou agora de manhã que eles fizeram somente uma reunião com os advogados novamente e que sentença de Jagger Gouda (um dos acusados) será no dia 2 de junho de 2017! Gostaríamos de agradecer a todos pelo carinho, atenção e orações e, por favor, continuem orando pela nossa família”, escreveu a família na página “Justice for Roger Trindade”, no Facebook.

Os três adolescentes acusados de conexão com o assassinato do aluno do Winter Park High School, Roger Trindade, respondem ao processo em liberdade e devem voltar ao tribunal nesta data e o julgamento final será realizado no dia 17 de agosto.

Jesse Sutherland, de 15 anos, e Simeon Hall, de 15, são acusados de homicídio culposo – quando não há intenção de matar e outro de 14 anos por falso testemunho.

A família de Roger se mudou de volta para o Brasil, mas duas pessoas amigas da família compareceram à Corte para a audiência. “Pedimos que as pessoas não se esqueçam de Roger”, disse ao jornal Orlando Sentinel, Mariley Nascimento, amiga da família. “Eles não querem vingança, mas justiça para seguirem em frente”.

“Que triste saber que a justiça americana está sendo lenta em punir estes delinquentes! A gente sai do Brasil com a esperança de um mundo melhor e acabamos nos separando com problemas semelhantes. Muita força. Que seus corações encontrem conforto. E vamos continuar rezando e não deixando o caso cair no esquecimento! Justiça tem que ser feita”, disse uma outra amiga da família nas redes sociais.