Líder Republicano no Senado cumprimenta Biden pela vitória

Senador Mitch McConnell admite derrota de Trump e recomenda aos colegas que parem de tentar interferir no resultado das eleições

0
521
Mitch McConnell, (R-KY), líder da maioria Republicana no Senado (Gage Skidmore/Creative Commons)

Mitch McConnell, líder da maioria Republicana no Senado, reconheceu a vitória de Joe Biden e cumprimentou o presidente-eleito, jogando um balde de água gelada nas pretensões do presidente Trump de reverter o resultado das eleições no Congresso.

O senador por Kentucky aguardou o resultado do Colégio Eleitoral, que confirmou o voto popular para Biden na segunda-feira (14), para reconhecer a derrota de Trump. McConnell é o mais poderoso Republicano no Congresso.

“Muitos de nós desejavam que as eleições tiverssem um resultado diferente, mas nosso sitema de governo possui processos para determinar quem fará o juramento no dia 20 de janeiro”, disse o líder. “O Colégio Eleitoral fez-se ouvir. Assim, hoje eu cumprimento o presidente-eleito Joe Biden”.

Segundo o The New York Times, citando fontes próximas ao senador, McConnell reuniu-se em seguida com seus colegas de Senado e proeminentes parlamentares Republicanos pedindo para eles não colaborarem com o esforço de alguns para levantar objeções à eleição em plenário, quando o Congresso se reunir no dia 6 de janeiro para sacramentar a vitória de Biden.

Um pequeno grupo de parlamentares Republicanos, liderados pelo deputado Mo Brooks, do Alabama, planeja usar um instrumento constitucional para impor objeções à inclusão de cinco estados no processo eleitoral. A proposta tem quase nenhuma chance de dar certo, mas se Boorks conseguir convencer pelo menos um senador será possivel forçar uma votação em plenário, causando mais um empecilho incômodo ao processo de transição. Até agora nenhum senador endossou a proposta, e McConnell instruiu seus auxiliares para recomendar aos colegas que não apoiem o plano de Brooks.