Líder São Paulo vacila contra lanterna

0
1242

O jogo de quarta-feira (22) entre o líder São Paulo e o lanterna Paraná prenunciava-se fácil para o Tricolor paulista na abertura do segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2018. Afinal, era o encontro dos dois extremos – uma equipe que briga pelo título contra outra que parece fadada ao rebaixamento para a Série B. E as previsões foram reforçadas com abertura de placar do time visitante. Nenê aproveitou o bom passe de Diego Souza para abrir o placar para a equipe paulistana. Entretanto, um golaço do lateral direito Junior colocou igualdade no placar e o 1 a 1 prevaleceu até o final.

Para o técnico Diego Aguirre lamentou o empate que representou a perda de dois pontos importantes na corrida pelo primeiro lugar, mesmo tendo sido conquistado em Curitiba, na casa do adversário. “É uma dificuldade para qualquer time que tem obrigação de ganhar, quando um time defende bem. Gostei do Paraná. Não foi uma estratégia defensiva. Eles pressionaram, contra-atacaram e criaram algumas situações. Também é bom parabenizar o adversário quando fazem as coisas bem”, analisou Aguirre.

Apesar de ter elogiado atuação do adversário, Aguirre considerou o resultado injusto por aquilo que o São Paulo fez em campo. Em vez de se queixar, porém, ele prefere se concentrar no próximo compromisso de seu time. “Temos que pensar em domingo, um jogo em casa, onde a torcida vai lotar o Morumbi. Temos que estar focados para ganhar e manter a liderança”, acrescentou o técnico.

E a próxima partida é crucial para o São Paulo, pois enfrentará o vice-lanterna Ceará no domingo (26). Ou seja, é preciso aproveitar a tabela favorável para somar pontos e tentar ganhar “gordura” para superar o período de partidas mais difíceis. O Paraná, por sua vez, enfrentará outra equipe paulista no sábado (25): o Corinthians, que não vem fazendo um bom Campeonato.

Internacional vence e encosta no líder

Enquanto São Paulo patinava em Curitiba, o Internacional surpreendia o Bahia em Salvador ao vencer a equipe local por 1 a 0, gol de Patrick de cabeça, concluindo uma boa jogada feita por Rossi.  Dois tempos diferentes entre Bahia e Internacional. Se na primeira etapa as equipes fizeram um jogo bom de assistir, no segundo tempo, houve uma queda brusca de rendimento. Melhor para o Colorado que se aproveitou da falha defensiva e soube se defender da pressão do time baiano, que cercava a área adversária, mas pecava no último passe. Desta forma, o Inter administrou o placar até o final e saiu da Fonte Nova com três pontos a mais na conta.

Com este resultado, a equipe de Porto Alegre obteve a quinta vitória seguida e encostou definitivamente no líder São Paulo, somando 41 pontos e com apenas um ponto de diferença. O próximo compromisso do time gaúcho não é fácil, pois recebe o Palmeiras no Beira-Rio no domingo (26). Vale lembrar que o Internacional ainda não foi derrotado em seu estádio na competição. Já o Bahia vai tentar recuperar-se no sábado (25) na partida contra o Santos na Vila Belmiro.

Continua o calvário do Sport

O Sport bem que tentou e começou o jogo de maneira organizada, pressionando o América-MG. Mas o Coelho conseguiu o que queria. Cirúrgico, venceu na Ilha do Retiro por 2 a 0, voltando a triunfar após três rodadas. Com 25 pontos ganhos, se manteve na 10ª posição e se afastou da zona do rebaixamento, que voltou a ser um fator de preocupação para o Leão. O time rubro-negro, que não vence há dez jogos, estacionou nos 20 pontos. Os gols da equipe de Belo Horizonte foram anotados por Luan e por Rafael Moura, após ter recebido um ótimo passe do próprio Luan.

O Sport volta a campo no próximo sábado (25) contra o Botafogo no Estádio Engenhão. No dia seguinte, o América-MG recebe o Flamengo no Estádio Independência.

Palmeiras vence Botafogo e sobe na tabela

O Palmeiras derrotou o Botafogo do Rio de Janeiro na quarta-feira (22) à noite no Allianz Parque com dois belos gols de Lucas Lima e está recuperando-se no Brasileirão. Esta é a oitava partida consecutiva que o Alviverde não sofre nenhum gol, o que garantiu ao goleiro Weverton um novo recorde. A equipe paulista dominou o jogo todo enquanto o time carioca só se preocupava em se defender, gastar o tempo e cometer faltas. Aliás, por ter cometido duas faltas violentas, o lateral Moisés foi expulso, deixando sua equipe com um jogador a menos e facilitando as coisas para o adversário. O Verdão ainda perdeu um pênalti cobrado por Dudu quando o placar estava 1 a 0. Este é o quinto pênalti seguido desperdiçado por jogadores do Palmeiras. O técnico Luiz Felipe Scolari se mostrou satisfeito com a atuação de seu time, mas inconformado com esta sequência de pênaltis perdidos. Segundo ele, os jogadores treinam intensivamente cobranças de penalidades máximas, mas não têm sido bem sucedidos no momento de convertê-las em jogos oficiais.

Na próxima rodada, o Palmeiras visita o Internacional, domingo (26), no Beira-Rio. Já o Botafogo recebe o Sport um dia antes, no Estádio Nilton Santos.

Grêmio e Cruzeiro ficam no empate

Grêmio e Cruzeiro mostraram na quarta-feira (22) em Porto Alegre porque estão entre as melhores equipes do país. O jogo teve de tudo. Dois belos gols anotados por Bruno Silva para a Raposa e Everton para o Imortal. O grande destaque do jogo, no entanto, foi novamente Fábio. Após pegar três pênaltis na disputa de quartas de final contra o Santos, na Copa do Brasil, o goleiro cruzeirense brilhou mais uma vez em um chute dos 11 metros. Luan bateu, e o camisa 1 defendeu. A defesa foi importante para garantir o empate do Cruzeiro diante do Grêmio, na casa do adversário. O Tricolor jogou melhor durante toda a partida e teve chances de virar o jogo, mas acabou esbarrando na defesa celeste. O empate interrompeu a sequência de três vitórias do Tricolor gaúcho e deixou o Cruzeiro em 7º lugar, bem distante do bloco de times que disputam o título.

No sábado (25), Grêmio vai a Curitiba enfrentar o Atético-PR na Arena da Baixada, enquanto a Raposa recebe o Fluminense no Mineirão.

Flu bate Timão e empata com adversário na tabela

“Este ano não está sendo igual aquele que passou.”  Se 2017 foi um ano positivo para o Corinthians, que conquistou os campeonatos Paulista e Brasileiro, este ano tem sido sofrido para a Fiel Torcida. É bem verdade que a equipe da Zona Leste de São Paulo venceu o Paulistão em um jogo controverso – até agora contestado pelo Palmeiras por causa da interferência externa na decisão do árbitro que havia marcado um pênalti e depois voltou atrás. Na quarta-feira (22), o Timão contabilizou mais uma derrota – sua 17ª nesta temporada. Desta vez, o algoz foi o Fluminense que venceu o jogo por 1 a 0, gol anotado pelo zagueiro Gum. O Tricolor das Laranjeiras dominou completamente a partida e apenas não fez um placar mais elástico graças à boa atuação do arqueiro Cássio que fez ótimas defesas, impedindo  ampliação do placar. O domínio do Flu se acentuou após expulsão de Romero que desferiu uma cotovelada no zagueiro Digão.

Os dois times voltam a jogar no sábado (25): o Corinthians recebe o Paraná em Itaquera, e o Fluminense encara o Cruzeiro no Mineirão. O Corinthians precisa da vitória para se recuperar na competição, pois enfrenta o lanterna, enquanto o outro duelo é mais equilibrado, com leve favoritismo para a Raposa por jogar em casa.

Santos pode ser punido pela Conmebol

De volta ao Brasil, o presidente do Santos, José Carlos Peres, acusou o Independiente de ter premeditado o caso Sánchez. A Conmebol anunciou na quarta-feira (22) que havia iniciado um procedimento para apurar se o Peixe desrespeitou o regulamento da entidade ao escalar o meio-campista uruguaio no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, na Argentina, na terça (21). Peres disse que, na véspera da partida, tinha jantado com dirigentes do clube argentino: “O pessoal do Independiente deveria ter nos avisado que poderia ocorrer algum mal-entendido, e teríamos tirado o jogador”, afirmou o presidente do Peixe. Há indícios, para a Conmebol, de que Sánchez não poderia entrar em campo pelo Santos por ter uma suspensão de um jogo pendente em 2015, ainda da época em que defendia o River Plate. A decisão pode modificar o placar original da partida, um empate sem gols em Avellaneda, e dificultar a classificação do Santos para as quartas de final. Se o Peixe for punido, o resultado passaria a ser 3 a 0 em favor do Independiente. Ou seja: o Peixe precisaria vencer por quatro gols de diferença na terça-feira (28), no Pacaembu, para avançar na Libertadores.

Guerrero impedido de lutar por seu clube

A Justiça da Suíça revogou o efeito suspensivo superprovisório concedido em maio deste ano, e Guerrero terá que cumprir o resto da pena – mais oito meses longe dos gramados. Por ter esgotado o último recurso, o peruano não tem mais caminho jurídico para tentar modificar a decisão, a não ser uma possível revisão do procedimento do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) pela justiça. Deste modo, Guerrero cumpriu seis meses de pena e não poderá atuar mais em 2018.

O atacante peruano que pouco atuou este ano defendeu o Peru na Copa do Mundo, onde anotou um dos gols na vitória de 2 a 0 do time sul-americano sobre a Austrália e participou de três jogos pelo Flamengo – Internacional, Ponte Preta e Chapecoense, quando marcou um gol.

Depois de muita controvérsia, a direção do Rubro-Negro carioca aceitou a oferta do Colorado gaúcho e Guerrero se transferiu para o Internacional. Já estava tudo pronto para ele estrear neste domingo perante a torcida no Beira-Rio no jogo contra o Palmeiras. A decisão do TAS, no entanto, dá pouca margem de defesa para o atacante peruano flagrado por doping causado por um metabólito da cocaína, em outubro do ano passado, no jogo contra a Argentina pelas eliminatórias. Ele foi então condenado a um ano de suspensão, mas conseguiu jogar por causa do efeito suspensivo. Agora, o pepino está nas mãos de seus advogados e da diretoria do Inter. Como disse um torcedor flamenguista, “contratar Guerrero te dá duas alegrias: uma quando compra, outra quando vende”…

Cartolas encrencados na Justiça

O ex-presidente da CBF, José Maria Marin, ouviu sua sentença de quatro anos de prisão e mais uma multa de $4,5 milhões proferida por uma juíza de New York. Ele teve a pena atenuada por causa da idade. O homem tem 86 anos de idade e chorou ao se comparar a Jesus Cristo: “Jesus carregou uma cruz. Eu carrego duas, a minha e a da minha mulher”.

Já o ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. Carlos Arthur Nuzman, foi interrogado na Operação Lava-Jato. Também recorreu ao efeito sentimental ao dizer ter visto a mãe morrer queimada aos 10 anos, e que foi o esporte que lhe permitiu superar o trauma, que sua vida como cartola foi dedicada a retribuir tamanha dádiva. Ele não pode sair do país, a exemplo de Ricardo Teixeira e Marco Polo Del Nero, também ex-presidentes da CBF, banidos do futebol.