Mãe de quatro filhos, imigrante da Guatemala se abriga em igreja para não ser deportada

Nury Ghavarria, imigrante da Guatemala, está há 24 anos morando ilegalmente nos EUA. Ela é mãe solteira de quatro filhos e recebeu ordens do U.S. Immigrations and Customs Enforcement (ICE) para sair do País

0
8094
Nuy Chavarria está abrigada numa igreja
Nuy Chavarria está abrigada numa igreja

Nury Ghavarria, imigrante da Guatemala, está há 24 anos morando ilegalmente nos EUA. Ela é mãe solteira de quatro filhos e recebeu ordens do U.S. Immigrations and Customs Enforcement (ICE) para sair do País. Para não ser deportada, Nury está abrigada na igreja New Haven, em Connecticut, enquanto advogados lutam para reverter a decisão. As informações são da CNN.

O governador de Connecticut, Dannel Malloy e os senadores Richard Blumenthal e Chris Murphy, todos Democratas, advogados e ativistas estão lutando para que Nury seja libertada. Ela tinha ordem de deportação em seu nome emitida desde 1998, mas comparecia à Imigração todos os anos e nunca teve ficha na polícia.

“Eu quero que o presidente dos EUA venha aqui e encontre esta mulher. Isso não é certo”, disse o governador em entrevista coletiva na sexta-feira (21) à tarde em frente à Iglesia De Dios Pentecostal, onde Nury está abrigada.

O ICE informou por meio de um comunicado que Nury tinha uma ordem de deportação contra ela e ela não obedeceu. “Depois de checar inúmeras vezes o caso dessa cidadã da Guatemala, optamos por não prendê-la enquanto ela finaliza os planos de voltar para o seu país de origem. Caso ela não vá embora voluntariamente, ela é considerada uma fugitiva pelo ICE”, respondeu o departamento.

Nury chegou aos EUA em 1993 com sua família, que buscou por asilo nos EUA. O pedido foi negado. Em junho, 24 anos depois de sua chegada, agentes do ICE a informaram que ela deveria comprar uma passagem de volta para a Guatemala até o dia 20 de julho. Nesse dia, em vez de embarcar, ela se refugiou em uma igreja.

Desde 2011, ela comparecia ao ICE para checagem anual e nunca teve problemas. “Eu ainda não encontrei nenhum indício de crime no histórico dessa mãe de família. Além disso, ela compareceu a todos os agendamentos feitos pelo ICE para ela”, disse o advogado que a representa.