Mãe do brasileiro achado morto na Califórnia diz que filho foi assassinado

Investigadores trabalhavam com a hipótese de que o jovem Anderson Sodre teria cometido suicídio. "Meu filho não se matou, tiraram a vida dele nos EUA", falou a mãe

0
2572
Em vídeo divulgado nas redes sociais Elizangela Gomes pediu justiça (foto: Facebook)

A mãe do brasileiro Anderson Sodre encontrado morto em seu apartamento em San Francisco, na Califórnia, no último dia 4 de agosto, falou em um vídeo compartilhado nas redes sociais que o filho teria sido assassinado.

Segundo ela, a informação foi repassada à família pelos peritos que examinaram o corpo do jovem de 26 anos.

Desde que a notícia da morte de Anderson foi divulgada, familiares e seguidores do brasileiro que tinha fama no Instagram como Ander Jackson, especulam as causas da morte. Investigadores trabalhavam com a hipótese de suicídio.

“Pesquisaram mais, fizeram mais uma pesquisa no corpo dele e descobriram que meu filho não se matou, meu filho foi realmente assassinado. Tiraram a vida do meu filho nos Estados Unidos”, afirmou a mãe Elizangela Gomes.

A família que mora em Sorocaba (SP) fez uma campanha online para arrecadar R$ 50 mil, pouco menos de dez mil dólares, para levar o corpo ao Brasil. Valor que foi alcançado rapidamente.

Mas segundo a mãe, o montante vai ficar ainda mais caro devido ao fato de outros estudos no corpo de Anderson serem necessários para esclarecer o óbito.

O brasileiro mudou-se para os EUA em 2018 para atuar no program Au Pair. Na época, ele denunciou episódios de racismo e maus tratos que sofreu durante uma temporada na casa da família que o hospedou em Orno, cidade próxima a Minneapolis.

Os familiares não relacionaram o suposto assassinato com a denúncia. 

A mãe da vítima relata que, por duas vezes, o governo teria confirmado a teoria de suicídio. “Ele jamais faria isso, sempre foi uma pessoa alegre, brincalhona. Entraram em contato com a gente duas vezes. Perguntamos duas vezes se realmente tinham certeza disso e nos confirmaram! Não sabemos por que esconderam que foi assassinato”, diz.

O Consulado Geral do Brasil em San Francisco  disse estar em contato com as autoridades para resolver o caso o mais rápido possível.

“Quero justiça, a de Deus e a dos homens”, declarou Elizangela.