Mãe guatemalteca implora para agente mexicano deixá-la entrar nos EUA com o filho

Agentes da Guarda Nacional do México têm auxiliado os EUA a impedir que imigrantes atravessem a fronteira; mãe e filho conseguiram atravessar e foram interceptados por agentes do lado americano

0
3705
Quantidade de crianças deu um salto gigantesco passando de 712 em abril para 4,4 mil em novembro (foto: Jose Luiz Gonzalez/ Reuters)
Número de crianças detidas aumentou de 712 em abril para 4,4 mil em novembro (foto: Jose Luiz Gonzalez/ Reuters)

Uma mãe caminhando com seu filho de seis anos de idade implora para um agente da Guarda Nacional Mexicana deixá-la cruzar a fronteira dos EUA, depois de atravessar mais de 2,4 mil quilômetros de sua terra natal, a Guatemala, até a cidade fronteiriça de Ciudad Juárez, onde o agente estava a postos.

O momento foi capturado pelas lentes do fotógrafo da Reuters, Jose Luiz Gonzalez, na segunda-feira (22). “A mulher implorou e suplicou à Guarda Nacional para deixá-los atravessar, ela queria cruzar para dar um futuro melhor” ao filho.

O fotógrafo contou que fazia sua ronda diária ao longo do leito seco do Rio Grande – que separa sua cidade natal, Ciudad Juárez, de El Paso, no Texas – quando os guardas prenderam um grupo de migrantes, incluindo a mãe e o filho, em uma estrada de terra poeirenta com vista para o rio.

Foi ali, então, que ela suplicou, em meio às lágrimas. Ele disse à CNN que a mãe, Lety Perez e seu filho, Anthony Diaz, é mãe solteira e que nunca teve o apoio do pai da criança. Lety teria gasto todo o dinheiro que tinha para atravessar a fronteira e disse que não poderia voltar ao seu País.

O soldado, vestido com uniformes de deserto, fuzil de assalto no ombro, disse que estava apenas seguindo ordens e não revelou o próprio nome, disse o fotógrafo. Ele também não demonstrou agressividade durante o contato de 9 minutos com Lety e o filho.

Lety e Anthony conseguiram atravessar para os Estados Unidos. Aproveitando a oportunidade quando o soldado desviou o olhar, a moça se lançou contra os arbustos que cresciam à margem do rio, puxando o filho com ela.

Eles rapidamente correram para o outro lado do rio, fora da jurisdição dos guardas – onde agentes da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA os levaram sob custódia.

Em resposta a um pedido de informação da Reuters, um porta-voz disse que a agência governamental não tinha os recursos necessários para rastrear o paradeiro de Pérez e do filho com base nos detalhes que a agência de notícias forneceu.

Dependendo das particularidades do caso, segundo o porta-voz, os dois normalmente seriam processados em uma estação da Patrulha da Fronteira e, depois, entregues à imigração; ou, então, colocados em um programa que devolve alguns migrantes ao México para aguardar uma audiência nos EUA.

Em junho, os Estados Unidos prenderam 94.897 imigrantes na fronteira com o México – uma queda de 28,6% em comparação ao mês de maio, quando foram detidas cerca de 133 mil pessoas. (Com informações da Reuters e CNN)