Matheus Leist é esperança brasileira na Fórmula Indy

0
2373
Tony Kanaan, James Black e o jovem Matheus Leist
Tony Kanaan, James Black e o jovem Matheus Leist

Neste final de semana (8, 9 e 10 de março) começa oficialmente a temporada 2019 da Fórmula Indy no circuito de St. Petersburg na Flórida. Três brasileiros figuram na lista de 33 pilotos que brigam pelo título desta importante categoria: os veteranos Helio Castroneves (que participa apenas de algumas provas, sobretudo Indy 500 pelo Team Penske), Tony Kanaan e o jovem Matheus Leist.

Aliás, Kanaan e Leist integram a mesma equipe: A.J. Foyt Enterprises. A coluna entrevistou o jovem que está em seu segundo ano de Fórmula Indy. Embora tenha apenas 20 anos de idade, ele já tem um curriculum invejável no automobilismo.

O jovem piloto Matheus Leist
O jovem piloto Matheus Leist

“Nasci em Novo Hamburgo (RS), e comecei a carreira caos 7 anos de idade. Andei de kart dos 7 aos 13 anos. Aos 15 anos, passei a dirigir carros. Depois de pilotar no Brasil, parti para a Inglaterra onde disputei a Fórmula 4 e a Fórmula 3 nos anos de 2015 e 2016. De lá, vim direto para os Estados Undios, onde participei da Indy Lights e agora estou na Fórmula Indy, desde o ano passado, tendo terminado o campeonato de 2018 na 18ª posição”, comentou o morador de Fort Lauderdale. Flórida.

Ao avaliar sua performance em 2018, Leist afirmou que a temporada passada serviu como aprendizado. Aproveitou para elogiar Tony Kanann, seu companheiro de equipe, que lhe tem ajudado bastante. “Tony é um cara sensacional, me ajudou desde o início, tanto dentro como fora das pistas. Na verdade, formamos uma amizade”.

Afinal, ser companheiro de equipe de um piloto que ele acompanhava pela TV quando era garoto é mesmo um sonho, assim como competir com outros ídolos: “Ele tem 22 anos de Fórmula Indy e é o mais veterano e experiente. Além dele, tem Helinho, Scott Dixon, Will Powell. É muita gente boa”.

Sobre as perspectivas da A. J. Foyt para a temporada 2019, Leist é realista: “Somos uma equipe pequena, com poucos recursos em comparação com as mais fortes. Entretanto, evoluímos e fizemos um bom desenvolvimento do carro, por isto, acredito que podemos surpreender em algumas provas”.

Seus planos para o futuro no automobilismo incluem a permanência nesta categoria – ele não pensa em Fórmula 1 neste momento – e terá 16 corridas para provar que tem condições que é “Indy material”. O campeonato começa agora e se encerra no Grand Prix de Monterrey no dia 22 de setembro.

Estreia de brasileiros na Libertadores teve saldo positivo

Das sete equipes brasileiras que figuram entre as 32 participantes desta edição da Copa Libertadores da América, três venceram, uma empatou e duas perderam apenas não pudemos analisar o resultado da partida entre Huracán da Argentina e Cruzeiro de Belo Horizonte porque o jogo foi disputado na quinta-feira (7) quando nosso jornal já estava na gráfica.

Vamos analisar cada partida e o desempenho de cada time:

Jogo 1: Tolima 1 x 0 Athletico Paranaense

Primeiro time brasileiro a estrear na Libertadores 2019, na terça-feira (5), o Athletico perdeu para o Tolima por 1 a 0 (gol de Banguero) no Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, na Colômbia, e frustrou a torcida rubro-negra que esperava bem mais do time campeão da Copa Sul-Americana.

Por mais que o técnico Tiago Nunes não tenha admitido, ficou evidente a falta de ritmo do Rubro-Negro. Isto porque a decisão da comissão técnica foi disputar o Campeonato Paranaense com uma equipe alternativa e guardar os titulares para a competição internacional.  As dificuldades eram esperadas e foram sentidas pelos atletas. Desatenção na bola aérea, meio-campo espaçado e falta de criatividade diante de um novo esquema tático foram alguns dos pontos negativos apresentados pela equipe atleticana.

“Nossa equipe produziu ofensivamente, com um padrão parecido com o que fazíamos no ano passado. Finalizamos 15 vezes e contabilizamos quatro chances claras de gol. Ofensivamente produzimos para fazer no mínimo, um gol. Temos que equilibrar as questões defensivas para se tornar uma equipe competitiva”, disse Tiago Nunes.

O Rubro-Negro do Paraná volta a campo pela Libertadores no dia 14 de março quando recebe o Jorge Wilstermann da Bolívia na Arena da Baixada. Antes, porém, joga contra o Toledo pelo Grupo A do Campeonato Paranaense disputando a taça Dirceu Kruger, que equivale ao segundo turno do estadual.

Jogo 2: San Jose 0 x 1 Flamengo

Na mesma terça-feira de Carnaval (5), o Flamengo foi até a Bolívia enfrentar o San Jose. Embora o time carioca tenha uma equipe mais poderosa, nunca é fácil vencer na altitude. Com gol marcado por Gabigol após passe na medida de Bruno Henrique, o Flamengo conseguiu uma importante vitória fora de casa em sua estreia na Libertadores. Venceu o San Jose por 1 a 0 e superou a altitude (3.700 metros) e o tabu de nunca ter vencido em estreias fora de casa pelo torneio continental. O triunfo só foi possível graças a uma grande atuação de Diego Alves, que fechou o gol em Oruro.

Com certo receio dos efeitos da altitude, o Flamengo não acelerou muito o ritmo no primeiro tempo do jogo. Tratou de conter a velocidade do San Jose. Caindo pela ponta direita e depois invertendo com Bruno Henrique na esquerda, Arrascaeta não conseguiu ser criativo no ataque. Foi substituído no intervalo por Éverton Ribeiro, que entrou em campo e melhorou o ritmo do time. Destaque para o incansável Bruno Henrique, que se destacou pela velocidade e por se apresentar em praticamente todas as jogadas na Bolívia.

Apesar da boa atuação de Bruno Henrique, que deu bela assistência no gol marcado por Gabigol, Diego Alves foi ainda mais decisivo no triunfo do Flamengo na Bolívia. O goleiro não sentiu os efeitos da altitude e fez boas defesas todas as vezes que foi acionado. A vitória em Oruro marca o segundo jogo do Flamengo na temporada sem sofrer gols. Tanto que ele foi eleito o melhor jogador da partida.

Agora, o Flamengo enfrenta a LDU do Equador no Maracanã, no dia 13 de março. No sábado (9), enfrenta o Vasco da Gama no “Clássico dos Milhões” pela Taça Rio, que corresponde ao segundo turno do Cariocão.

Jogo 3: Cerro Porteño 1 x 0 Atlético Mineiro

No reencontro do atleticano com o Mineirão, a festa foi toda do Cerro Porteño. Mesmo com quase 40 mil vozes jogando contra, o time paraguaio teve uma atuação tática praticamente impecável e venceu o Atlético-MG por 1 a 0 na quarta-feira (6). Diego Churín, que foi oferecido ao Galo no começo do ano, fez o gol da vitória paraguaia. O time alvinegro deixou o campo sob muitas vaias. Os laterais Fábio Santos e Patric foram os principais alvos.

A partida teve três bolas na rede com polêmica. Logo início do jogo, Cazares cobrou uma falta direta para o gol e marcou, mas o árbitro não validou a jogada. Ele assinalou lance em dois toques, mas a bola entrou em cobrança direta. No segundo tempo, Diego Churín estava em posição irregular no gol do Cerro, mas o assistente não marcou impedimento e validou o lance. No fim, já em desvantagem, Ricardo Oliveira empatou para o Galo, mas estava em posição de impedimento. O assistente acertou ao anular a jogada, decretando a vitória paraguaia.

A segunda rodada do Grupo E da Libertadores acontece já na próxima semana. O Atlético vai até o Uruguai (pela terceira vez neste ano) para enfrentar o Nacional-URU, na terça-feira, às 21h30, no estádio Parque Central. Já o Cerro Porteño recebe o Zamora-VEZ, no dia seguinte, às 19h15. Antes do duelo pela Libertadores, o Galo volta a campo pelo Campeonato Mineiro no sábado (9), quando encara o Patrocinense, fora de casa.

Legenda: Diego Churin fez o gol da vitória do Cerro Porteño sobre o Galo no Mineirão

Jogo 4: Palestino 0 x 1 Internacional

Rafael Sobis tem a Libertadores tatuada no corpo. Em uma partida na qual Palestino e Inter abusaram dos passes errados, o camisa 23 mais uma vez mostrou ter estrela. O atacante entrou no segundo tempo na vaga de Pedro Lucas e garantiu a vitória do Inter por 1 a 0 sobre o Palestino no San Carlos de Apoquindo, em Santiago do Chile, na noite da quarta-feira (6). O atacante cobrou a falta no meio da barreira aos 37 minutos da etapa final e surpreendeu o goleiro rival.

Com o resultado, o Inter tem três pontos e lidera o Grupo A, enquanto o Palestino segue zerado, em último lugar. Alianza Lima e River Plate empataram em 1 a 1 pelo outro confronto do Grupo A no Peru. Na próxima rodada, o Palestino vai até o Monumental de Nuñez enfrentar o River Plate, na quarta-feira, dia 13. No mesmo horário, o Inter recebe o Alianza Lima no Beira-Rio. Pelo Gauchão, o Inter recebe o Aimoré no domingo (10).

Jogo 5: Rosario Central 1 x 1 Grêmio

O resultado saiu melhor que o desempenho. Com um minuto de jogo, o Grêmio saiu atrás do Rosario Central na noite da quarta-feira (6), no Estádio Gigante de Arroyito, mas arrancou o empate fora de casa na estreia da Libertadores de 2019. Perdeu algumas chances, viu confusão envolvendo Geromel e deixa a Argentina com um ponto na tabela. Zampedri marcou para os donos da casa, e Everton fechou o 1 a 1.

Grêmio e Rosario Central ficam igualados com um ponto no Grupo H. O líder é o Libertad, que goleou o Universidad Catolica por 4 a 1 na outra partida da chave. Na próxima terça-feira (12), o Tricolor recebe o Libertad, na Arena. Na quarta (13), o Rosario vai ao Chile enfrentar a Universidad Catolica. No domingo, o Tricolor dos Pampas recebe o São José pelo Campeonato Gaúcho.

Jogo 6: Junior Barranquilla 0 x 2 Palmeiras

O Palmeiras, pelo segundo ano seguido, começou a Copa Libertadores com uma vitória sobre o Junior Barranquilla, na Colômbia. O placar de 2 a 0, na noite de quarta-feira (6), é suficiente para dar tranquilidade à equipe de Felipão na abertura da fase de grupos do torneio. Gustavo Scarpa, no início, e Marcos Rocha, nos acréscimos do segundo tempo, marcaram os gols do Verdão. Mais uma boa estreia em solo colombiano para o Palmeiras.

No ano passado, o Verdão estreou no mesmo estádio, contra o mesmo adversário, e fez 3 a 0. Algumas coincidências: o jogo se resolveu com um gol logo no início, e houve uma expulsão do rival após falta em Bruno Henrique, capitão palmeirense. Em 2018, foi German Gutiérrez quem levou vermelho por acertar um chute na altura do peito de Bruno. Em 2019, outro Gutiérrez, o Teo, deixou o pé no mesmo Bruno Henrique dentro da área e levou o segundo amarelo.

A vitória leva o Palmeiras aos três pontos, já na liderança do Grupo F – Melgar e San Lorenzo empataram sem gols na terça-feira (5) e dividem o segundo lugar. O Junior, sem pontos, é o lanterna da chave.  Na terça-feira (5), o Palmeiras recebe o Melgar do Peru enquanto San Lorenzo e Junior medem forças em Buenos Aires na quarta-feira. Pelo Paulistão, o Verdão tem compromisso contra o Mirassol fora de casa.

Messi é convocado por Scaloni e está de volta à seleção da Argentina

Ele está de volta. Depois de nove meses, Lionel Messi voltará a atuar pela Argentina. Na tarde de quinta-feira (7), o técnico Lionel Scaloni divulgou a convocação para os amistosos diante da Venezuela, no dia 22 de março em Madri e Marrocos, dia 26, em Tânger.

Outras novidades são o retorno de Ángel Di María, do Paris Saint-Germain e as ausências do atacante Sergio Aguero e Gonzalo Higuain, do Manchester City e Chelsea, respectivamente. Do futebol brasileiro, o zagueiro Kannemann, que atua no Grêmio aparece entre os convocados de Scaloni.

No total, são 31 jogadores, sendo 10 que atuam no futebol argentino, com destaque para Darío Benedetto, carrasco do Palmeiras na última Libertadores da América e Lisandro López, jogador do Racing, com passagem pelo Internacional.

Existe um acordo entre a AFA e o Barcelona para que Messi atue apenas no confronto diante da Venezuela, pelo fato do jogo ser na Espanha. A partida será realizada no Estádio Wanda Metropolitano, em Madri, mesmo palco da final desta edição da Liga dos Campeões da Europa.

Será a primeira vez que o camisa 10 defenderá a albiceleste, desde a eliminação para a França na última Copa do Mundo. O retorno também indica que o jogador irá defender a Argentina na Copa América deste ano, no Brasil.

Tite tem três opções para a vaga de Vinicius Junior na Seleção

O técnico da Seleção Brasileira Tite tem três favoritos para substituir Vinicius Junior, lesionado, nos amistosos da seleção brasileira contra Panamá e República Tcheca, nos dias 23 e 26 de março, respectivamente. Nos próximos dias, ele e sua comissão técnica irão cortar oficialmente o atacante do Real Madrid e optar por um desses três: Dudu, do Palmeiras, David Neres, do Ajax, ou Willian, do Chelsea. As informações são do Globo Esporte.

Vinicius Junior foi convocado pela primeira vez, mas sofreu uma ruptura de ligamentos no tornozelo direito durante a derrota do Real Madrid por 4 a 1 para o Ajax, que custou a eliminação na Champions League.

Embora seu clube não cite prazo de recuperação, a imprensa local estima em dois meses. O jovem de 18 anos, então, teria mínimas chances de ir à Copa América, já que voltaria a jogar somente no início de maio, poucos dias antes da convocação para o torneio.

Vinicius era o único estreante da Seleção numa lista que indicou disposição de Tite em observar mais alternativas antes de definir o grupo que tentará reconquistar o continente depois de 12 anos – o último título foi em 2007.

Se essa tendência for mantida na escolha do substituto, Dudu e David Neres têm mais chances. Caso decida recorrer a uma opção já habituada ao seu grupo, Willian será chamado.

Embora seja um dos maiores destaques do Palmeiras, eleito o melhor jogador do último Campeonato Brasileiro, não empolga a Seleção. Na avaliação da comissão, suas características e as de sua equipe não se encaixam com as funções que ele teria de executar se fosse convocado. Porém, a boa fase já duradoura pode pesar a seu favor.