Médico brasileiro lidera nos EUA experimento com medicamento para tratar coronavírus

Segundo André Kalil, até o momento, 80 pacientes participaram do teste, com metade deles recebendo a droga denominada remdesivir, medicamento experimental usado nos casos de ebola

0
1394
Médico brasileiro André Kalil trabalha na Universidade do Nebraska

O médico brasileiro André Kalil , que vive nos EUA há 20 anos, é especialista em doenças infecciosas no Centro Médico da Universidade do Nebraska. Sua equipe está testando o remdesivir, uma droga experimental contra o ebola, como parte de um programa liderado pelos institutos nacionais de Saúde.

Natural de Bagé, no Rio Grande do Sul, Kalil lidera o ensaio clínico considerado mais promissor para a cura da COVID-19. Financiado pelo governo americano por meio do National Institutes of Health (Institutos Nacionais de Saúde), o pesquisador de 53 anos é um dos grandes nomes científicos no combate à doença.

Segundo Kalil, até o momento, 80 pacientes têm participado do teste, com metade deles recebendo a droga e a outra metade, um placebo. Ele disse que sua equipe deverá ser capaz de examinar os resultados dos primeiros 100 pacientes nas próximas duas ou três semanas.

Entretanto, o médico brasileiro advertiu que a droga experimental tem efeitos colaterais indesejados. Ele afirmou que administrar qualquer medicamento que não foi testado e aprovado para se saber se é seguro criaria “mais riscos do que benefícios” em pacientes com sintomas leves. André Kalil disse que a droga deveria ser utilizada somente em pacientes com alto risco de morte. (Com informações da Agência Brasil)