Modelo brasileira é acusada de aliciar mulheres para esquema sexual nos EUA

As acusações contra a brasileira estão conectadas com a prisão do bilionário e empresário da moda canadense Peter Nygard, realizada nesta segunda-feira (14) pelas polícias do Canadá e EUA

0
2330
Suelyn Medeiros e o empresário Peter Nygard (foto: instagram)
Suelyn Medeiros e o empresário Peter Nygard (foto: instagram)

Conhecida como Kim Kardashian brasileira, Suelyn Medeiros está sendo acusada de participar de um grande esquema de tráfico sexual nos Estados Unidos, liderado pelo empresário canadense do ramo da moda, Peter Nygard.

A denúncia contra Peter foi apresentada nesta segunda-feira (14), pelo U.S Department of Justice na ocasião de sua prisão em Winnipeg, Manitoba, no Canadá, a pedido do governo dos EUA e sob o tratado de extradição dos dois países.

De acordo com duas vítimas que denunciaram Nygard , 79 anos, a influencer brasileira com mais de 2,6 milhões de seguidores no Instagram, recrutava mulheres para o esquema de tráfico sexual. As acusações estão presentes em dois processos diferentes entregues às cortes americanas, uma na Flórida e outra na Califórnia.

No processo em tramitação na United States District Court of Southern District Of Florida- Miami Division apresentado em 22 de outubro deste ano, uma das vítimas que recebeu o pseudônimo de Jane Doe nos documentos oficiais, disse que Suelyn a convidou para ir a uma ilha nas Bahamas em 2010 — quando tinha apenas 18 anos–, onde ela foi estuprada pelo empresário.

Suelyn Medeiros em uma Ferrari supostamente presenteada pelo namorado (foto: United States District Court of Southern District Of Florida)

A vítima, agora com 29 anos, revela no documento de 22 páginas que ficou amiga de Suelyn por uma rede social. Depois de algumas conversas, a influencer a convidou para a viagem e só quando ela chegou na ilha, a brasileira revelou a obrigatoriedade de manter relações sexuais com Nygard.

A ação judicial alega que “Suelyn instruiu Jane Doe a fazer sexo com Nygard contra a vontade dela, afirmando que ela não deveria se preocupar que ‘não era tão ruim’ e seria ‘muito rápido e fácil’”.

Em fevereiro deste ano, o jornal The New York Times detalhou a briga travada entre Nygard e um de seus vizinhos em um condomínio de luxo nas Bahamas que acusou o canadense de agredir sexualmente menores no local.

No artigo, dezenas de mulheres e ex-funcionários descreveram como as supostas vítimas foram atraídas para a mansão do milionário, citando o nome da brasileira como uma das pessoas envolvidas.

Segundo o processo, a modelo “viveu no complexo Marina Del Ray, no condado de Los Angeles (CA), de propriedade de Nygard, por pelo menos cinco anos. Durante esse tempo, ela recebeu dinheiro, joias, cirurgia plástica, injeções de células-tronco e carros em troca de vítimas de tráfico para Nygard, incluindo Jane Doe”. Eles também tiveram um relacionamento e, durante um bom tempo, ela ficou conhecida como namorada de Nygard. Os advogados de Suelyn ainda não apresentaram a defesa.

Violência e ameaças

O procurador de Manhattan, Audrey Strauss, disse que Nygard usa desde 1995 sua influência e negócios para “recrutar e manter” vítimas nos EUA, Canadá e nas Bahamas para satisfazer sexualmente a si próprio.

O indiciamento diz que as vítimas eram induzidas a ingerir drogas e sofriam ameaças para serem silenciadas.

Entre os métodos usados por Nygard e seus aliados para atrair as vítimas estavam as chamadas Pamper Parties, bancadas pela sua empresa, onde havia comida, bebida e serviços de spa gratuitos nas suas propriedades na Califórnia e nas Bahamas.

Entre os crimes os quais ele está sendo acusado estão tráfico sexual, extorsão de mulheres e garotas menores de idade, e vários outros.

Quem é Suelyn Medeiros

Pouco conhecida no Brasil, a modelo de 34 anos frequenta, há tempos, os tabloides e sites de celebridades estrangeiros.

Em 2006, ela participou de um desfile na Semana de Moda de Nova York. A partir de então fez inúmeros videoclipes de cantores americanos como Snoop Dogg, JLo, 50 Cent e Chris Brown. Atuou em filmes pequenos, escreveu uma biografia e , devido ao corpo curvilíneo, adotou a alcunha de Kim Kardashian brasileira.

Este ano, chegou a aparecer no noticiário brasileiro após ser detida por posse de drogas e por estar sem máscara em Ipanema, no Rio de Janeiro. Na época, ela chegou a ser dada como desaparecida pela família que mora no Brasil.