Mulher contrai bactéria em praia de Ana Maria Island (FL) e morre dias depois

Essa é a segunda vítima em um mês a contrair a flesh-eating bactéria, mas a primeira conseguiu sobreviver

0
5928
Lynn Fleming (no meio) ao lado dos netos no dia em que caiu e machucou a perna (Foto cortesia da família)
Lynn Fleming (no meio) ao lado dos netos no dia em que caiu e machucou a perna (Foto cortesia da família)

Casos de bactéria carnívora (fasceíte necrotizante) estão espalhando medo nas praias da Flórida depois que duas pessoas foram infectadas e uma delas morreu em consequência da infecção. A última vítima foi Lynn Fleming, moradora de Ellenton (FL), que contraiu a bactéria na praia de Ana Maria Island, na Costa Oeste, há duas semanas.

De acordo com a família de Lynn, ela saiu para dar uma volta na praia, acabou escorregando na água e machucou a perna no dia 14 de junho. O corte pequeno na perna esquerda em contato com a água contaminada foi o ambiente ideal para a proliferação da flesh-eating bactéria.

Dois dias depois do ocorrido, Lynn reclamou de dor na perna e foi levada para o hospital, onde foi medicada com vacina antitetânica e antibiótico. Ela voltou para casa e, no dia 17 de junho, a perna de Lynn estava completamente preta (necrosada) e ela foi levada novamente para o hospital. Durante a cirurgia para tentar salvar sua perna, ela morreu devido a uma infecção generalizada. “Na cirurgia, ela teve dois derrames e seus rins pararam. Seu corpo inteiro sofreu um choque séptico”, comentou a nora da vítima, Traci Fleming.

Outro caso

Kylei Brown, de 12 anos, e sua família estavam em Destin, na Flórida, no início de junho de férias. Depois de passar um dia na praia, a criança acordou com uma dor horrível abaixo do joelho.

Michelle Brown, mãe de Kylei, ligou para o médico da menina, que recomendou que ela fosse levada para a emergência, onde detectaram que a perna já estava em processo de necrose, e a perna sendo ‘devorada’ pela bactéria flesh eating.

“Ela foi levada para a sala de cirurgia para que a infecção fosse removida. Eles conseguiram salvar a perna da minha filha a tempo, por sorte porque a infecção estava se espalhando muito rápido”, disse Michelle.

Essa bactéria é rara e pode ser encontrada na água e entra no corpo por meio de outro ferimento. A menina estava com um ferimento na perna causado por uma queda de skate alguns dias antes.

Todos os anos, entre 500 e 1500 casos da bactéria são reportados nos Estados Unidos.