Manchete Mundo

Mulher de 97 anos é condenada por mais de 10 mil assassinatos em campo nazista

Ex-secretária foi condenada a dois anos de prisão por cumplicidade no assassinato de 10.505 pessoas durante o Holocausto

A ex-secretária Irmgard Furchner, de 97 anos, foi condenada a dois anos de prisão. Foto: Reprodução DW

Uma ex-secretária de um campo de concentração nazista foi condenada, na terça-feira (20), a dois anos de prisão por cumplicidade no assassinato de 10.505 pessoas durante o Holocausto. Irmgard Furchner, de 97 anos, trabalhou como datilógrafa no campo de Stutthof, perto de Gdansk, na Polônia ocupada pelos nazistas, de 1943 até o fim do regime, em 1945. O julgamento marca a última condenação da Justiça alemã relacionada ao Holocausto e a Segunda Guerra Mundial.

Como Furchner era uma adolescente na época dos crimes, o julgamento da idosa ocorreu perante um tribunal de menores e sua sentença a colocará em liberdade condicional juvenil, segundo informações divulgadas pelo tribunal de Itzehoe, na Alemanha.

Furchner enfrentava julgamento desde setembro de 2021. Antes do processo, a ex-secretária tentou fugir do asilo onde vivia, mas foi encontrada dias depois pela polícia de Hamburgo e levada ao tribunal.

Dezenas de milhares de pessoas foram mantidas em condições brutais no campo de Stutthof, e mais de 60 mil morreram no local, de acordo com o Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos. Stutthof mantinha principalmente poloneses não judeus, bem como um grande número de judeus das cidades polonesas de Varsóvia e Bialystok e dos estados bálticos ocupados pelos nazistas. Nos últimos anos, a Alemanha acelerou o processo para levar os perpetradores dos crimes de guerra nazistas à justiça, antes que fosse tarde demais. Mas especialistas acreditam que apenas uma pequena proporção dos envolvidos na barbárie tenha enfrentado um julgamento.