Número de peixes-boi mortos na Flórida em 2021 é o maior da história

Mamífero símbolo do Sunshine State tem morrido em quantidades nunca vistas em decorrência da falta de alimentos e do atropelamento por embarcações

0
620
Ambientalistas pedem que o animal volte a ser classificado como 'em perigo' de extinção (foto: Flickr)

Mais peixes-boi morreram em 2021 na Flórida do que em qualquer outro ano na história: 841 óbitos de 1º de janeiro a 2 de julho, segundo dados do Florida Fish and Wildlife Conservation Comission (FWCC).

E a principal causa para o desaparecimento em massa desses mamíferos é inanição, conforme informou o órgão. 

Em outras palavras, eles estão morrendo de fome devido à escassez de grama marinha (seagrass), principal fonte de nutrição desses animais.

Mais da metade das mortes registradas este ano ocorreram na partes do Indian River Lagoon que envolvem os condados de Volusia, Brevard, Indian River, St. Lucie e Martin. Nesses locais, a perda dos bancos de grama marinha vinha sendo observada desde 2011. 

Uma das razões para a diminuição, segundo o FWCC, é a proliferação persistente de algas que prejudicam o crescimento da vegetação marinha. O excesso de poluição também é apontado por alguns biólogos como possível causa para a escassez de seagrass.

Além disso, o FWCC chama atenção para as colisões com embarcações, que foram responsáveis por 63 das 841 mortes registradas de janeiro até agora.

Diante desse cenário, ambientalistas pediram às autoridades federais dos EUA que  voltem a classificar os peixes-boi como ‘animais em perigo’, o que significa que a espécie corre risco de extinção. 

Os mamíferos chegaram a receber essa classificação anteriormente, mas, em 2017, foram reclassificados como ameaçados — termo que sinaliza que eles podem chegar à condição de perigo no futuro.

A população total de peixes-bois nas águas da Flórida é 6,3 mil.