O verão de guerras culturais da Flórida esquenta

Artigo do Miami Herald debate a contenda entre conservadores e liberais

0
419
Drag queens, como Kat Wilderness, e educação sexual ocupam o centro do palco dentro desta controvérsia (Foto: miami.eater.com)
Drag queens, como Kat Wilderness, e educação sexual ocupam o centro do palco dentro desta controvérsia (Foto: miami.eater.com)

DA REDAÇÃO – Nosso verão de guerras culturais esquenta com duas controvérsias – drag queens e educação sexual nas escolas – ambas nas manchetes nacionais. Ambos lidam com a escolha dos pais e são campos de batalha favoritos do governador Ron DeSantis, em pé de guerra para garantir a reeleição. 

DeSantis está fazendo um esforço muito público para tirar a licença de bebidas alcoólicas de um popular local de drag de Miami, R House em Wynwood, por permitir que crianças entrem em seus populares brunches. 

O Departamento de Negócios e Regulação do estado diz em uma reclamação que os shows são “eventos drags sexualizados”. “Ter crianças envolvidas nisso é errado”, disse DeSantis. “Isso não é consistente com nossa lei e política no estado da Flórida. E é uma tendência perturbadora em nossa sociedade tentar sexualizar esses jovens”.

Ele esquece, no entanto, que se os pais levarem seus filhos a um show de drags é o outro lado da escolha dos pais que ele defende. Drag queens se apresentando na frente de crianças não eram um problema até que DeSantis, o senador dos EUA Marco Rubio, a deputada da Geórgia Marjorie Taylor Green e outros o transformaram em um ridículo problema de carne vermelha, que o Conselho Editorial do Miami Herald denunciou.

Enquanto isso, quinta-feira (28), o Conselho Escolar de Miami-Dade revisará sua proibição de livros didáticos usados ​​para ensinar educação sexual em nosso distrito. Na semana passada, os membros do conselho votaram por 5 a 4 para proibir um livro específico, mas um grupo de 278 pais assinou uma petição pedindo que reconsiderassem. O Conselho está retomando a questão acalorada novamente. Bem-vindo ao estado “livre” da Flórida de DeSantis.