Parlamento do Reino Unido aprova adiamento da saída da União Europeia

Prazo para saída do bloco venceria no dia 29 de março; realização de novo referendo foi rejeitada

0
1169
Por 334 votos contrários contra somente 85, os parlamentares recusaram a promover uma segunda consulta à população
Por 334 votos contrários contra somente 85, os parlamentares recusaram a promover uma segunda consulta à população

DA REDAÇÃO – O Parlamento britânico aprovou nesta quinta-feira, 14, um adiamento da saída do Reino Unido da União Europeia, por 412 votos a favor, a 202 contra. Agora, a primeira-ministra Theresa May terá que negociar uma extensão do prazo para o Brexit , que estava estipulado para o dia 29 de março.

Parte da mídia britânica afirma que o objetivo do governo é estender o prazo por mais 30 dias, terminando até o dia 29 de abril, antes das eleições para o Parlamento Europeu. Analistas ouvidos pela imprensa britânica, no entanto, dizem que a saída pode se estender por pelo menos um ano o que obrigaria o Reino Unido a participar das eleições, que ocorrem em maio.

Ainda na quinta-feira, 13, o Parlamento britânico rejeitou uma emenda para postergar a saída do Reino Unido da União Europeia até um novo referendo sobre o Brexit. Por 334 votos contrários contra somente 85, os parlamentares recusaram a promover uma segunda consulta à população.

Os parlamentares ainda rejeitaram uma proposta de transferir ao Parlamento a responsabilidade das decisões sobre o Brexit – uma vitória para a primeira-ministra Theresa May, que continua, portanto, à frente do processo de saída da União Europeia.

De votação em votação no Parlamento britânico, o processo de saída do Reino Unido da União Europeia torna-se mais desgastado, aprofundando o fosso entre a Câmara dos Comuns e a primeira-ministra Theresa May, entre ela e seu partido, entre ela e o bloco europeu. O tumultuado divórcio entrou no plano sem saída.

O Parlamento rejeitou duas vezes o acordo sobre o Brexit proposto por May. Em nova derrota para a premiê, descartou abandonar a UE sem acordo. Derrubou por 249 votos a possibilidade de um segundo referendo sobre a saída.

Mas uma maioria de 412 contra 202 deputados aceitou esta tarde a oferta do governo de pedir ao bloco europeu para prorrogar a data da retirada, que ocorreria em apenas 15 dias. Em troca, o acordo para a saída será votado, pela terceira vez, na próxima semana. A UE terá que aceitar formalmente a extensão do prazo, já sinalizada por seus principais caciques em Bruxelas. (Com G1 e Estadão Conteúdo).