Paul Ryan diz que se depender do Congresso não haverá deportações em massa no governo Trump

Presidente eleito prometeu na campanha deportar imediatamente todos os imigrantes irregulares no país, mas presidente da Câmara diz que "isso não vai acontecer"

0
11494
Paul Ryan: "Acho que temos encontrar uma solução para o problema das crianças do DACA"

Donald Trump prometeu na campanha “deportar imediatamente” todos os imigrantes irregulares nos Estados Unidos, cerca de 11 milhões de pessoas.

Depois de eleito, reduziu esse número para cerca de três milhões logo após a posse. Mas, o líder Republicano e presidente da Câmara, Paul Ryan, disse ao programa Town Hall, da CNN, que isso é improvável.

Ryan, que já discordou de Trump em outras ocasiões, fez os comentários em resposta a uma pessoa da plateia beneficiada pelo programa de Obama que protege da deportação pessoas que chegaram muito jovens aos Estados Unidos (Deferred Action for Childhood Arrival – DACA). A moça perguntou se ela e a filha seriam deportadas depois da posse de Trump.

“Vejo que você ama sua filha, que você é uma boa pessoas com um grande futuro pela frente, e eu espero que seu futuro esteja por aqui”, respondeu Ryan. “Temos que encontrar uma maneira de fazer com que você se encaixe na lei, e temos fazer isso de um modo que não puxe o tapete debaixo de ninguém e não separe famílias.”

Quando alguém lembrou ao Speaker que o presidente eleito prometeu as deportações logo após a posse, Ryan respondeu: “Eu sei, eu sei. Mas eu estou lhe dizendo, se depender do Congresso isso não vai acontecer”.

Os comentários de Ryan vão de encontro às promessas de Trump feitas ao seu eleitorado, de que deportaria sumariamente todos os imigrantes irregulares no país imediatamente.

“Acho que temos encontrar uma solução para o problema das crianças do DACA. Isso é uma coisa que o Congresso e a equipe de transição estão trabalhando”, acrescentou Ryan. “Qual será a solução mais humana?”