Pesquisa busca traçar o perfil da comunidade brasileira nos EUA

Levantamento das universidades de Wisconsin e City University of New York traça um retrato do imigrante através da coleta de dados sobre inclinação política, acesso a saúde, redes sociais, impactos da pandemia, entre outros

0
807
Brasileiros no Brazilian Day em ew York (Foto: Jane Ceron)
Brasileiros no Brazilian Day em ew York (Foto: Jane Ceron)

Cientistas sociais das universidades Milwaukee, em Wisconsin, e City University of New York, iniciaram uma pesquisa sobre as experiências dos imigrante brasileiros nos EUA. Os interessados em participar devem responder ao questionário online que aborda temas como acesso a tratamento médico, qualidade de vida, redes sociais e atividade eleitoral. Todos as informações coletadas são mantidas em sigilo. “Queremos entender como ser imigrante impacta sua qualidade de vida nos EUA”, disse a pesquisadora Rubia Valente, da City University of New York, ao AcheiUSA.

Ela lembra que 2022 tem eleições presidenciais no Brasil e o voto é obrigatório para todos os brasileiros que moram fora e são maiores de 18 anos. Neste contexto, a pesquisa busca compreender a disposição dos imigrantes no processo de escolha do presidente brasileiro, levando em consideração as dificuldades de locomoção, trabalho, tempo de espera em filas e outros obstáculos. “Pessoas que votam tendem a ser mais engajadas politicamente e a acreditar que seu voto faz a diferença”, declarou Rubia.

Além das questões logísticas, o estudo também analisa as tendências políticas dos imigrantes e como eles  avaliam a gestão do atual governo de Jair Bolsonaro. Os impactos da pandemia de covid-19 na saúde física e mental dos residentes nos EUA e seus familiares é outro ponto abordado.

Estudos anteriores já tentaram traçar o perfil do imigrante brasileiros nos EUA, mas de forma menos abrangente. Em 1994 e depois em 2009, foram feitos levantamento desta natureza entre os brasileiros em New York. E nos anos 2011, 2013 e 2018  outros trabalhos similares examinaram questões relativas a tratamentos de saúde. “Desta vez, espera-se traçar um retrato mais abrangente em todos o país“, comentou a estudiosa, acrescentando: “Quanto maior a participação dos brasileiros, e esperamos que muitos participem, melhor e mais precisa será a imagem desse grupo como um todo”.

Para responder ao questionário online clique aqui.