Pílula contra a covid da Pfizer é eficaz contra a nova variante, diz empresa

Medicamento mostrou eficácia de quase 90% na prevenção de casos graves de covid; empresa aguarda aval do FDA para colocar medicamento no mercado

0
626
Pfizer anunciou que pílula é eficaz contra casos graves de covid

A Pfizer anunciou, nesta terça-feira (14), que a análise final de sua pílula antiviral contra a covid-19 mostrou eficácia de quase 90% na prevenção de hospitalizações e mortes em pacientes de alto risco. Dados laboratoriais recentes sugerem que a droga mantém sua eficácia contra a variante ômicron.

A farmacêutica disse no mês passado que o medicamento oral era cerca de 89% eficaz na prevenção de hospitalizações ou mortes quando comparado com o placebo com base em resultados provisórios em cerca de 1.200 pessoas. Os dados divulgados nesta terça-feira incluem mais 1.000 pessoas.

Ninguém no estudo que recebeu o tratamento Pfizer morreu, em comparação com 12 mortes entre os que receberam placebo.

Os comprimidos da Pfizer são tomados com o antiviral ritonavir mais antigo a cada 12 horas por cinco dias, começando logo após o início dos sintomas. Se autorizado, o tratamento será vendido como Paxlovid.

A Pfizer também divulgou dados iniciais de um segundo ensaio clínico mostrando que o tratamento reduziu as hospitalizações em cerca de 70% em cerca de 600 adultos de risco padrão.

“É um resultado impressionante”, disse o diretor científico da Pfizer, Mikael Dolsten. “Estamos falando sobre um número impressionante de vidas salvas e hospitalizações evitadas. E, claro, se você implantar isso rapidamente após a infecção, provavelmente reduziremos a transmissão drasticamente”.

Dolsten disse que espera autorização para uso em indivíduos de alto risco da Food and Drug Administration (FDA) e de outras agências regulatórias em breve. Ele não acredita que será necessária uma reunião do painel consultivo da FDA.

“Estamos em diálogos muito avançados com a Europa e o Reino Unido, e temos diálogos com a maioria das principais agências regulatórias em todo o mundo”, disse Dolsten.

Atualmente, não há tratamentos antivirais orais para covid-19 autorizados nos Estados Unidos. (Com informações do jornal O Globo)