Pílula contra a covid do laboratório Merck reduz risco de morte em 50%, diz estudo

Se autorizado, o molnupiravir seria a primeira medicação oral para o combater o coronavírus

0
794
Molnupuravir é a mais nova esperança no tratamento contra a covid (Foto Divulgação)

A fabricante de medicamentos Merck anunciou nesta sexta-feira (1) que a pílula produzida por eles reduz o risco de mortes e hospitalizações por covid-19. O medicamento seria mais uma arma na luta contra o vírus.

A Merck vai enviar os resultados do estudo feito com o medicamento experimental molnupiravir para o US Food and Drug Administration (FDA), que deve dar um parecer nas próximas semanas.

Se autorizada a pílula seria a primeira medicação oral para o combate ao vírus da coronavírus.

Rivais como a Pfizer e o grupo farmacêutico suíço Roche Holding estão correndo para desenvolver uma pílula antiviral fácil de ministrar para a Covid-19, mas até agora apenas coquetéis de anticorpos — que precisam ser aplicados de forma intravenosa — foram aprovados para o tratamento de pacientes não hospitalizados de covid-19.

“Tratamentos antivirais que possam ser feitos em casa para manter as pessoas portadoras de Covid-19 fora dos hospitais são extremamente necessários”, afirmou Wendy Holman, presidente-executiva da Ridgeback, laboratório parceiro no estudo.

No teste, que envolveu pacientes de todo o mundo, o molnupiravir foi usado a intervalos de 12 horas por cinco dias.

O estudo envolveu pacientes com covid-19 entre amena e moderada confirmada em exames de laboratório, que apresentavam sintomas havia no máximo cinco dias. Todos os pacientes tinham pelo menos um fator de risco associado a desfechos negativos para a doença, como obesidade ou idade mais elevada. (Com informações da Reuters)