Plano de Biden é vacinar 70% da população até o feriado de 4 de julho

Presidente admitiu que ritmo da vacinação diminuiu nos últimos dias e faz apelo para as pessoas se vacinarem

0
1036
O presidente deixou claro que forçar uma legislação por meio do bloqueio da oposição republicana não é viável no momento (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)
Joe Biden (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

O presidente Joe Biden afirmou, nesta terça-feira (4), que a meta é vacinar 70% da população até o dia 4 de julho, quando é celebrado o Dia da Independência dos Estados Unidos.

“As pessoas no País vão celebrar o 4 de julho”, prometeu. “Mas ninguém tem que esperar chegar essa data para ir se vacinar”, pediu o presidente.

As metas anteriores da Casa Branca, como aplicar 200 milhões de doses até o fim de abril, foram atingidas, mas o desafio agora é retomar o ritmo rápido da imunização contra a Covid-19.

Estima-se que 56% da população adulta dos EUA tenha recebido ao menos uma dose das vacinas. Considerando o regime de duas doses exigidos para a maioria de imunizantes, a estimativa é de que 32% dos adultos já tenham tomado as duas doses da vacina.

Ao anunciar a meta, Biden reconheceu que o ritmo da vacinação nos EUA diminuiu em relação com as semanas anteriores: entre março e abril, o volume de doses aplicadas se aproximava dos 3 milhões por dia.

Segundo o democrata, esse ritmo diminuiu porque algumas pessoas têm achado o processo muito “confuso” e porque os mais jovens acreditam estar menos vulneráveis à Covid-19. Por isso, Biden anunciou um novo site ligado ao governo americano que indica às pessoas os locais de vacinação contra o coronavírus e dá outras informações.

“Há milhões de americanos que ainda precisam de algum incentivo para tomarem a vacina”, reconheceu Biden. “Vá tomar uma vacina o mais rápido que puder”, pediu Biden.

O presidente anunciou que vai formar parceria com lojas para incentivar as pessoas que a se vacinarem, com descontos e promoções. É uma linha semelhante à adotada pelo governador de New Jersey, que anunciou acordo com bares para distribuir cerveja de graça a quem tomar vacina em maio. (Com informações do G1 e CNN)