Polícia Federal participa de operação internacional de combate à pedofilia na internet

Adolescente se suicida com medo de enfrentar a polícia

0
678

A Polícia Federal (PF) participou nesta terça-feira (21/02) de uma megaoperação internacional para combater uma rede de pedofilia na internet. A ação foi deflagrada simultaneamente em quase 30 países. No Brasil, onde a ação ganhou o nome de Operação Azahar, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em 11 estados.

O trabalho começou na Espanha com o rastreamento de computadores por meio dos quais internautas trocavam imagens de crianças e adolescentes em situação pornográfica.

É a primeira vez que a PF participa de uma ação internacional de combate à pedofilia na internet. A ação contou com 120 policiais, que apreenderam 11 computadores e HDs. Ninguém foi preso. O material apreendido será enviado para perícia e o resultado deve sair em dez dias.

O cumprimento de um dos mandados de busca no Rio terminou em tragédia. Por volta das 6h, quatro policiais federais entraram num apartamento no sexto andar de um prédio na Rua Visconde de Itamarati, na Tijuca. Eles explicaram aos moradores que não seriam feitas prisões, mas era preciso examinar os três computadores de casa, já que havia indícios de que algum deles estaria recebendo as imagens de pedofilia.

Quando os policiais examinavam uma das máquinas, um jovem de 17 anos que morava no apartamento entrou em seu quarto e fechou a porta. Um agente pediu para que a mãe abrisse a porta, mas já era tarde: o rapaz caiu ou se jogou da janela. Ele morreu minutos depois. A PF abriu uma investigação sobre o caso .

A família, muito abalada, não quis falar com a imprensa. O pai contou apenas aos policiais que o filho tinha passado a noite inteira no computador. O equipamento que estava em seu quarto foi apreendido e a polícia encontrou indícios de que era usado para acessar as páginas com conteúdo de pedofilia.

Um policial, que não quis se identificar, diz que o adolescente se trancou no quarto. ” A porta dele estava fechada e pedi para a mãe abri-la. Enquanto isso já ouvíamos gritos. Houve um barulho e as pessoas chegaram na janela e começaram a gritar que alguém havia se jogado”, contou o policial.

À tarde a Polícia Federal confirmou que a perícia encontrou imagens pornográficas de crianças no computador do rapaz. “Serão identificados os usuários de cada uma das máquinas e o delegado poderá, junto ao Ministéro Público e à Justiça, pedir a prisão dessas pessoas”, disse o superintendente da Polícia Federal, José Milton Rodrigues.

A operação foi deflagrada em países como Argentina, Chile, Uruguai, Perú, Venezuela, República Dominicana, Panamá, México, Estados Unidos, Espanha, Portugal, França, Itália, Inglaterra, Alemanha, Bélgica, Noruega, Grécia, Polônia, Estônia, Lituânia, República Checa, Rússia e Israel. Somente na América do Sul e nos Estados Unidos a operação tem 130 alvos.

O crime está previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90).