Presidente francês mantém acolhida e diz que 30 mil refugiados serão recebidos

‘A acolhida caminha junto com o dever de proteger os franceses’, disse

0
1006

DA REDAÇÃO (com G1) – O presidente da França, François Hollande, disse na quarta-feira (18) que o país manterá sua política de acolhimento a refugiados e receberá 30 mil pessoas nos próximos anos, além de pedir apoio dos prefeitos para reforçar as medidas de segurança. Os atentados terroristas da última sexta-feira (13) em Paris resultaram na morte de 129 pessoas e deixou dezenas de feridos.

De acordo com Hollande, não haverá mudanças na política de acolhida dos migrantes, mas assumiu, sem dar detalhes, que verificações são necessárias antes de aceitar a entrada dos estrangeiros. “A acolhida dos refugiados caminha junto com o dever de proteger os franceses”, afirmou.

Hollande fez esse pronunciamento, durante sua participação na assembleia de prefeitos em Paris, pouco depois de uma megaoperação na cidade de Saint-Denis que terminou com duas pessoas mortas e sete detidas.

O chefe de estado também fez um apelo contra o preconceito em relação aos refugiados. “Não vamos ceder ao medo aos excessos, nossa coesão social é melhor resposta. Nós temos ter que ser implacáveis contra ira, contra os atos xenófobos. Nada disso pode ser tolerado”, afirmou Hollande.

Para Hollande, os terroristas visavam atacar os valores franceses como a liberdade, a defesa da cultura e do direito universal. “Os terroristas visavam combater o que a França representa: a liberdade, a defesa do direito universal. Eles visavam o povo francês. Foi a juventude francesa que foi o alvo, porque ela representa a vida”, disse o presidente.

“A França vai continuar a ser um país de liberdade, ativo, dinâmico, que não cederá jamais ao medo”, afirmou Hollande.
Entre as medidas práticas, o presidente francês afirmou que vai ampliar o recrutamento para as forças de segurança e da justiça. “Nenhum cargo no exército será suprimido. Haverá mais policiais, com homens melhor equipados, mais armamentos”, afirmou.

Ajuda dos prefeitos
O presidente francês pediu a colaboração dos prefeitos, que estão mais próximos da comunidade, para trabalhar para combater o terrorismo. “O ministro do interior pediu à polícia para que os prefeitos sejam informados de ameaças terroristas e medidas de segurança que o estado está disposto a tomar.”