Presidiário de 78 anos confessa ter matado pelo menos 90 pessoas

Crimes teriam acontecido entre 1970 e 2005; ele foi condenado à prisão perpétua

0
1294
Samuel Little
Samuel Little

Um detento de 78 anos condenado à prisão perpétua por três assassinatos confessou recentemente ter matado 90 pessoas entre 1970 e 2005 em vários estados americanos, informou nesta quarta-feira (28) o FBI. As informações são da Agência EFE.

Esses números colocam Samuel Little como um dos maiores assassinos em série da história.

No total, Little confessou 90 assassinatos em um período de 35 anos e distribuídos por diversos estados americanos, por isso foi tão difícil encontra-lo antes, além disso, na época não existiam exames de DNA.   Desses 90, 34 já foram confirmados.

Little foi detido em setembro de 2012 em um albergue para pessoas sem-teto no estado do Kentucky e transferido à Califórnia, onde era procurado por crimes relacionados com drogas.

Uma vez em Los Angeles, as autoridades vincularam seu DNA com o encontrado nos assassinatos de três mulheres entre 1987 e 1989, todas elas estranguladas.

Little foi sentenciado a três penas de prisão perpétua por esses três assassinatos, mas a polícia quis compartilhar seu DNA e detalhes de seu modus operandi com o FBI para que realizasse uma investigação mais profunda.

O que o FBI encontrou foi “um alarmante padrão e nexos convincentes com muitos outros assassinatos”, na sua maioria “mulheres vulneráveis e marginalizadas” dedicadas à prostituição e viciadas em drogas.

Little lembrava suas vítimas e os assassinatos com grandes detalhes, e foi capaz até de desenhar os rostos de algumas das mulheres, embora sua memória tenha falhado na hora de memorizar as datas e estabelecer uma cronologia.