Mundo

Primeira-ministra da Nova Zelândia anuncia que vai renunciar em fevereiro

Jacinda Ardern fica no cargo até 7 de fevereiro (foto: AP)

Jacinda Ardern anunciou nesta quinta-feira (18) ,quarta-feira nos Estados Unidos, que “chegou a hora”de deixar o cargo de primeira-ministra da Nova Zelândia. Ela foi eleita em 2017, aos 37 anos, e conduziu seu partido de centro-esquerda a uma ampla vitória nas eleições. Mas, recentemente, viu  sua popularidade pessoal cair, ao mesmo tempo em que a coalizão dos partidos de centro-direita, National e Act , cresce no país.

Apesar disso, a premiê afirmou que este não é o motivo de sua renúncia. “Não estou saindo porque acredito que não podemos vencer a próxima eleição, porque acredito que podemos e iremos. (…)Eu sou humana, políticos são humanos. Damos o máximo que podemos pelo tempo que podemos “, explicou ela.

Como a pessoas mais jovem a assumir o comando da Nova Zelândia, Ardern ganhou notoriedade pela condução do país durante a pandemia de covid-19, que resultou em um dos menores índices de mortalidade do mundo. Seu estilo de liderança empática também ficou evidente  nas respostas rápidas aos tiroteios em massa em duas mesquitas em Christchurch, em 2019, que mataram 51 pessoas e feriram 40.

Mas sua popularidade caiu no ano passado, depois que a inflação atingiu um dos maiores patamares em quase três décadas, a taxa de juros disparou e a criminalidade aumentou no país. Seu mandato termina oficialmente em 7 de fevereiro, quando o vice-primeiro ministro Grant Robertson assume o comando até 14 de outubro, quando novas eleições serão realizadas.

Baixe nosso aplicativo