Professora brasileira com doença degenerativa rara busca ajuda para tratamento na Flórida

Jane Moraes, de 64 anos, mora em Salvador (BA) e há mais de uma década luta contra a ataxia cerebelar que ataca os movimentos e pode levar à morte

0
692
A professora Jane Moraes, de 64 anos (foto: Produtora Alforria)
A professora Jane Moraes, de 64 anos (foto: Produtora Alforria)

Depois de lutar durante 12 anos contra a ataxia cerebelar, uma doença rara que ataca os movimentos, a professora aposentada Jane Moraes, 64 anos, moradora de Salvador (BA), viu uma luz no fim do túnel.  Os familiares descobriram um tratamento que restaura a coordenação motora e impede o progresso da enfermidade que pode levar à morte. 

A esperança está no  ‘BTT Corp Institute’, em Aventura, na Flórida.  O local é referência mundial no tratamento da ataxia e outras doenças degenerativas e foi fundando pelo médico brasileiro Marc Abreu. Abreu é o responsável pela descoberta da terapia de indução de proteínas de choque térmico no cérebro dos pacientes, que já gerou resultados satisfatórios.

O desafio da família Moraes, agora, é levantar recursos para a viagem e o procedimento. “Minha mãe é uma mulher cheia de vitalidade e com muita fé. Está sempre de bom humor e com energia positiva, sei que vamos conseguir”, disse a filha Magali Moraes, ao AcheiUSA.

As despesas médicas ficam em $37 mil dólares. Além disso, há os gastos com vistos, passagens, acompanhante e hospedagens, o que pode elevar o montante final para cerca de $50 mil dólares, mais de R$250 mil reais pelo câmbio atual.

A ideia para arrecadar o dinheiro foi criar uma campanha online e pedir ajuda da comunidade.  Com o dólar na faixa dos R$ 5,00 a página arrecadou pouco mais de 10% da estimativa total até o momento. “Contamos com a solidariedade das pessoas que se sintam de alguma forma tocadas pelo história de Jane”, declarou a filha, acrescentando: ”Sozinhos somos pequenos, mas o poder da união, da solidariedade e da empatia nos faz poderosos”, concluiu. Para fazer um contribuição para o tratamento de Jane Moraes clique aqui.