Professores da FL protestam por melhores salários em frente à sede do governo em Tallahassee

Estopim para os protestos foi proposta do governador Ron DeSantis de aumentar o salário para $47 mil ao ano; a Flórida é um dos estados que pior paga seus professores

0
713
Protestos foram organizados pela Florida Education Association (FEA) (Foto Reprodução Facebook FEA)

Milhares de professores das escolas públicas da Flórida protestaram contra os baixos salários da categoria, em resposta ao governador Ron DeSantis, do Partido Republicano, na segunda-feira (13) em frente à sede do governo em Tallahassee.  

Os protestos foram organizados pela Florida Education Association e contou com educadores segurando faixas e cartazes com palavras de protesto pelos baixos salários. Segundo a associação, 700 professores do Sul da Flórida compareceram.

O estopim para os protestos foi o anúncio de DeSantis sobre a proposta do governo para o aumento dos salários da categoria para $47.500 ao ano. “O Estado precisa entender o quanto a educação é importante e o quanto nós professores somos importantes e precisamos ser valorizados”, disse uma professora de Pembroke Pines.

Professores com até 20 anos de experiência, de acordo com a proposta do governador, ganhariam pouco mais de $2 mil a mais (ao ano) que jovens docentes que acabaram de começar. “Ele quer que os antigos e experientes saiam para dar lugar aos recém-formados”.

A Flórida, segundo a Florida Education Association, é um dos estados que pior paga seus professores. A média é de $48 mil por ano, sendo em Broward $41 mil, figurando na 46ª posição no ranking nacional.

O governador também anunciou bônus para educadores.

A proposta do governador precisa ser aprovada por deputados e senadores e deve enfrentar muita resistência.