Protestos pelos direitos da mulher marcam a cerimônia do Globo de Ouro

Praticamente todos se vestiram de preto para chamar a atenção para as denúncias de assédio sexual em Hollywood

0
1878

O preto dominou a cerimônia de premiação do Globo de Ouro 2018, realizado em Los Angeles no domingo (7). A escolha da cor dos looks – que costumam ser uma atração à parte – foi um protesto e uma demonstração de que as mulheres da indústria cinematográfica estão unidas em torno da campanha #TIMESUP, que combate o assédio sexual e discriminação no ambiente de trabalho.

“O assédio está no mundo militar, no congresso, em todas as partes. Queremos melhorar isso. Nos sentimos responsáveis em nos manifestar”, disse a consagrada atriz Meryl Streep no tapete vermelho.

Um dos discursos mais contundentes da noite foi da ex-apresentadora e atriz Oprah Winfrey. Oprah fez o discurso mais emocionante da cerimônia após levar o prêmio Cecil B. DeMille, concedido a pessoas com feitos marcantes no cinema e TV. Ela falou sobre racismo e violência contra a mulher:

“Quero que todas as garotas assistindo aqui, agora, saibam que um novo dia está no horizonte! E, quando esse novo dia finalmente amanhecer, será por causa de muitas mulheres magníficas, muitas das quais estão aqui neste auditório esta noite e alguns homens fenomenais, lutando para garantir que se tornem os líderes que nos levam ao tempo em que ninguém nunca mais terá de dizer ‘eu também’ (referência a hashtag #MeToo, pela qual várias mulheres denunciaram abusos nas redes sociais)”.

Meryl, Shonda Rhimes, Reese Witherspoon, Viola Davis, Emma Watson e a imensa maioria das mulheres presentes aderiram à iniciativa e ainda compareceram na cerimônia acompanhadas de ativistas do movimento feminista. O convite para que usassem preto veio em forma de uma carta aberta no jornal The New York Times assinada por dezenas de atrizes, como Alicia Vikander, Amy Schumer, Ashley Judd, Dakota Johnson, Emilia Clarke, Gwyneth Paltrow e Anne Hathaway, que mesmo doente em casa postou uma foto usando um vestido preto em apoio à causa.

Premiação

Promovida pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA, na sigla original), a disputa tradicionalmente dá largada na temporada de prêmios. Há categorias dedicadas a produções para cinema e para TV. Os grandes vencedores da noite foram: “Lady Bird”, da diretora Greta Gerwig, ficou com dois prêmios – melhor filme de comédia ou musical e melhor atriz para Saoirse Ronan;

“The Handmaid’s Tale” foi a melhor série de drama e rendeu prêmio de melhor atriz dramática para Elisabeth Moss;

“The Marvelous Mrs. Maisel” foi a melhor série de comédia ou musical e rendeu prêmio de melhor atriz cômica para Rachel Brosnahan. (Com informações do G1, NYTimes e Revista Donna).

Veja a lista de vencedores:

  • Melhor filme: “Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”
  • Melhor filme, musical ou comédia: “Lady Bird”
  • Melhor diretor: Guillermo del Toro, “The Shape of Water”
  • Melhor atriz em filme dramático: Frances McDormand, “Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”
  • Melhor ator em filme dramático: Gary Oldman, “Darkest Hour”
  • Melhor atriz de musical ou comédia:  Saoirse Ronan, “Lady Bird”
  • Melhor ator em musical ou comédia:  James Franco, “The Disaster Artist”
  • Melhor atriz coadjuvante:  Allison Janney, “I, Tonya”
  • Melhor ator coadjuvante: Sam Rockwell, “Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”

Séries de TV

  • Melhor drama televisivo: “The Handmaid’s Tale,” Hulu
  • Melhor atriz em série dramática: Elisabeth Moss, “The Handmaid’s Tale”
  • Melhor ator de série dramática: Sterling K. Brown, “This Is Us”
  • Melhor série de comédia:  “The Marvelous Mrs. Maisel,” Amazon
  • Melhor atriz de série de curta duração: Nicole Kidman, “Big Little Lies”
  • Melhor ator de série de curta duração: Ewan McGregor, “Fargo”

Veja lista completa no Golden Globo Awards website.