Secretários americanos fazem visita ao México

John Kelly, do Homeland Security, e Rex Tillerson, secretário de Estado tentaram apaziguar animos entre os dois países

0
1146
O secretário de segurança nacional os EUA, John Kelly (esq) aperta a mão do ministro de relações exteriores do México, Luis Videgaray
O secretário de segurança nacional os EUA, John Kelly (esq) aperta a mão do ministro de relações exteriores do México, Luis Videgaray

DA REDAÇÃO (com AFP) – O Secretário de Homeland Security, John Kelly, afirmou nesta quinta-feira (23), durante visita ao México, que não haverá deportações massivas nem operações militares contra os imigrantes mexicanos em seu país. A reunião foi classificada como “constrangedora” pela imprensa americana.

“Quero deixar muito claro que não vai haver deportações massivas” e “o Departamento de Segurança Nacional atuará conforme o direito e respeitando os direitos humanos”, disse. “Não haverá uso de forças militares em operações migratórias”, acrescentou Kelly.

Kelly fez o comunicado ao lado do ministro das Relações Exteriores do México, Luis Videgaray, e do secretário de Segurança Nacional dos EUA, Rex Tillerson.

Já Vildegaray afirmou que entre os mexicanos existe “irritação” e “preocupação” com as posturas do governo de Donald Trump sobre o país latino-americano.

“Existe preocupação e irritação diante do que se percebe como políticas que podem ser prejudiciais aos mexicanos”, disse.

O chanceler ressaltou também a “necessidade” de que as decisões que “afetam ambos os países” “sejam decididas por ambos”, em aparente alusão às políticas unilaterais anunciadas por Trump sobre as deportações de imigrantes mexicanos nos EUA e a construção de um muro na fronteira comum.

Videgaray afirmou que existem “coincidências” entre os governos dos presidentes Enrique Peña Nieto, do México, e de Donald Trump, dos Estados Unidos, mas que o diálogo sobre temas polêmicos, como a migração e o comércio, será “longo”.

Trump

Durante uma reunião na Casa Branca com executivos industriais, Trump disse que espera ser tratado “de forma justa” pelo México e que as ações para deportar imigrantes em situação irregular são uma “operação militar”.

As autoridades mexicanas não informaram até agora sobre a deportação de nenhum chefe de grupos narcotraficantes.

“Disse que seria uma viagem dura porque temos que ser tratados de forma justa pelo México. Mas Rex (Tillerson) já está lá, ao lado do general (John) Kelly (secretário de Segurança Interna), que tem sido formidável na fronteira”, acrescentou.

Kelly e Tillerson viajaram ao México em um esforço dos dois países para aproximar posições e tentar recompor as relações depois das tensões que se seguiram à posse de Trump na Casa Branca.